Mudança de rumo no futebol cearense

Veja a coluna deste sábado (16)

Imagem mostra jogadores de futebol
Legenda: Confira a coluna deste sábado.
Foto: Thiago Gadelha/SVM

Não há mais tempo para espera. Se o futebol cearense não reagir a partir de agora, certamente empreenderá a viagem de volta para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. E desembarcará no patamar de baixo, voltando aos velhos tempos da acomodação na Série B nacional. Lembro de alguns dirigentes que assumiram publicamente a opinião segundo a qual os nossos times deveriam ficar mesmo na Série B, já por falta de lastro para voos mais elevados. Ainda bem que surgiu um novo pensar com Evandro Leitão no Ceará e com Luís Eduardo Girão no Fortaleza. Pensamento alto que teve sequência com Robinson de Castro no alvinegro e Marcelo Paz no tricolor de aço. Daí o caminho para competições internacionais como Copa Libertadores da América e Copa Sul-Americana. O que parecia utopia virou realidade: Fortaleza e Ceará foram inseridos nas mais importantes competições da Américas. Mas, lamentavelmente, ambos não dispunham de elenco para duas formações, sem perder a qualidade técnica. Isso, de certo modo, comprometeu o desempenho de ambos na Série A. O resultado aí está: tricolores e alvinegros na zona de rebaixamento. 

Prioridade 

Agora, a meu juízo, a prioridade tem de ser a Série A nacional. O Ceará segue na Copa Sul-Americana. O Fortaleza segue na Copa do Brasil. Mas a atenção principal tem de estar voltada para o Campeonato Brasileiro. Não digo que abram mão das outras disputas. Não é isso. Mas que concentrem todos os esforços na saída da zona baixa. 

Qualidade 

Ceará e Fortaleza têm potencial para seguir na Série A em 2023. Mas não podem vacilar como já vacilaram até aqui. O foco tem de ser vitórias no Brasileirão. Já não se admite a desculpa amarela de que merecia vencer, mas perdeu. Não serve como consolo. Ambos terão de voltar a ganhar com convicção e não como obra do acaso ou da bola vadia. 

Convicção 

Em 2021, o Fortaleza entrava em campo certo de que venceria. E vencia. Os adversários passaram a respeitá-lo. O Ceará também, embora sem o mesmo patamar de vitórias do Fortaleza, ganhou respeitabilidade. Hoje, ambos são vistos como times de qualidade limitada. Daí que os adversários pequenos e médios engrossaram o pescoço, roubando pontos valiosos em pleno Castelão. 

Vitórias 

Ganhar do Corinthians passou a ser obrigação do Ceará. Ganhar do Atlético-GO passou a ser obrigação do Fortaleza. Pouco importa o local do jogo, se aqui ou fora. Nem o empate interessa. Aliás, tenho dito diversas vezes que o resultado empate é o mais enganador do futebol, ou seja, o time deixa de ganhar dois pontos e ainda acha que fez um bom negócio.



Assuntos Relacionados