Defesa do pênalti pode levar o Vozão às semifinais da Sula

Leia a coluna de Tom Barros

Imagem mostra jogador de futebol
Legenda: Leia a coluna desta quinta-feira (4).
Foto: Thiago Gadelha/SVM

No futebol, há lances que transformam o destino de um jogo ou da classificação. Na vitória (1 x 0) do São Paulo sobre o Ceará, houve uma situação assim. Aos 36’ do segundo tempo, o árbitro marcou pênalti contra o Ceará. Momento para o São Paulo praticamente garantir sua passagem às semifinais. Se fizesse dois gols de diferença, chegaria ao Castelão com uma vantagem quase intransponível.

Calleri bateu o pênalti. João Ricardo defendeu. Pronto. Este o lance que mudou o rumo das coisas. E poderá ser de grande valia na próxima quarta-feira. O efeito psicológico da defesa de João Ricardo é muito maior do que se imagina. E pode levar o Vozão às semifinais da Sula. Se o São Paulo tivesse feito o segundo gol, o Ceará teria de ganhar por três gols de diferença. Agora basta uma vitória simples para deixar tudo igual.

Tornou-se plenamente viável a classificação do Ceará. Além disso, os meninos do São Paulo já viram que o Ceará tem um goleiro pegador de pênalti. Se a decisão for para esse tipo de disputa, o momento psicológico favorecerá o Ceará. Portanto, nem sempre o gol é o elemento definidor de uma partida ou de uma classificação. A defesa de um pênalti pode mudar, sim, o destino dos contendores. 



Assuntos Relacionados