Responsabilidade do presidente tricolor

Presidente Marcelo Paz procura um sucessor para Enderson Moreira que tenha como característica principal a valorização da posse de bola e o jogo ofensivo

Marcelo Paz
Legenda: Marcelo Paz, presidente do Fortaleza, está em contato com o mercado sul-americano e o futebol português
Foto: Thiago Gadelha

Contratar treinador de futebol é tarefa complicada. Requer estudo minucioso. Além da qualidade do profissional, há que se levar em conta o cofre do clube. Os salários de treinadores de ponta atingiram patamares distantes da realidade. E nem sempre um treinador renomado é certeza de êxito na missão. O Bahia, quando em setembro de 2020 contratou Mano Menezes, ex-comandante da Seleção Brasileira, tinha convicção de que fizera excelente negócio. Três meses depois, Mano Menezes foi demitido. O presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, depois da saída de Enderson Moreira, resolveu evitar a pressa na substituição. Preferiu avaliar de forma profunda possíveis nomes. Marcelo tem crédito. Foi ele quem apostou no técnico Rogério Ceni, quando Ceni ainda estava em início de carreira. Resultado: levou o Leão ao mais memorável período de sua história. A experiência adquirida por Marcelo Paz o credenciou como timoneiro para ultrapassar as tempestades de agora. O nome, que for ungido, poderá até não ser o ideal na visão de tanta gente. Entretanto, certamente pesará na balança o nível de competência do treinador e o poder de pagamento do clube. Risco financeiro Marcelo não assume. 

La Paz 

O nome da Capital da Bolívia é bonito: Cidade de Nuestra Señora de La Paz. Aliás, nome sugestivo para o atual momento em que tanto se pede harmonia para este mundo globalizado e conturbado. É nessa cidade onde o Ceará amanhã enfrentará dois adversários: o primeiro, o Bolívar; o segundo, a altitude de 3.700 metros. Duros desafios. 

Resistiu bem 

O Arsenal apresentou boa resistência, quando enfrentou o Bolívar em La Paz (3.700m). As altitudes de Buenos Aires e Fortaleza se equivalem: Buenos Aires 25m e Fortaleza 21 metros. O Arsenal jogou atrás. Dosou energias. Não entrou no ritmo veloz que os bolivianos queriam.  Perdeu por 2 a 1, mas quase empatou na reta final, quando mandou bola na trave. O Ceará tem que segurar o ritmo.  

Rotatividade 

Ceará resolve poupar jogadores. Como estará então o alvinegro para este jogo em La Paz? Assim, sem a maioria dos titulares, é impossível uma avaliação por parte do cronista. Só a comissão técnica, creio, tenha condições de dimensionar o que poderá produzir uma formação tão modificada. Em situações assim vale muito o brio, a voluntariedade. É o que se espera. 

Esperança coral 

Ferroviário assume a liderança da segunda fase do Campeonato Cearense. Ferrão foi líder da primeira fase. Enfim, tem encarado com extrema responsabilidade a atual disputa. O último título de campeão estadual coral foi o bi de 1994/1995. Daí até hoje apenas Ceará e Fortaleza foram campeões. O Ferroviário foi vice em 1996, 2003 e 2017. Ferrão pode surpreender este ano. Já ganhou do Ceará. Diá conhece.      

 

  



Assuntos Relacionados