O dia em que tudo deu certo para um lado só

O Fortaleza foi soberano, ontem, contra o Internacional. O Leão atropelou o time gaúcho numa tarde inspirada em que tudo deu certo a seu favor

Fortaleza x Inter
Legenda: O Fortaleza goleou o Internacional por 5 a 1, na tarde de ontem, no Castelão, de forma impiedosa
Foto: Kid Júnior

O Fortaleza em tarde/noite de deslumbramento. A magia em que o vencedor entra iluminado e já vem com a vitória antes mesmo da largada. É como se tudo estivesse escrito nas estrelas. Um Fortaleza compacto. E foi gradualmente engolindo o Internacional. Fez 1 a 0 aos 17’ da etapa inicial, com Titi. E não mais parou de crescer. Lomba fez três importantes defesas em finalizações de Vargas (duas vezes) e David. Recado dado: volúpia tricolor. E o Inter atônito sem saber o que fazer. Com Pedro Henrique expulso aos 45’ e o gol de Robson (2 x 0) aos 46’, o Leão pavimentou o caminho para a goleada histórica. Observem que, mesmo antes da expulsão de Pedro Henrique, o tricolor já era o dono do jogo. No primeiro minuto do segundo tempo, Pikachu não deixou sequer o Inter respirar (3 x 0). Zé Gabriel bancou o amigo da onça e fez gol contra (4 x 0). Virou parque de diversão. Aí Praxedes marcou o tal gol de honra (4 x 1). Mas, numa festa assim, Wellington Paulista tinha que assinalar o dele (5 x 1). O técnico Vojvoda chegou aqui goleando: 6 x 1 no Crato, 6 x 0 no Icasa, 6 x 0 no Atlético. Diziam que era o frágil Campeonato Cearense. Agora meteu 5 a 1 no Inter pela Série A nacional. Hora de refletir. É cedo, mas há algo novo no Pici.   

Olhar para frente  

A derrota do Ceará foi sentida pela forma como aconteceu. Guto mais uma vez surpreendeu com uma escalação diferente do trivial. Contrariou os que esperavam Klaus ao lado de Messias. Aí escalou Gabriel Lacerda em detrimento de Jordan que vinha atuando. Vina e Jorginho juntos. Guto optou por Vizeu. O time não jogou mal, mas o Santos foi melhor. Mereceu vencer. É olhar para frente.  

Azar   

Há quem diga que azar não existe. Ora, se existe sorte, existe azar. O Messias, ótimo zagueiro, sentiu na alma uma jornada em que tudo deu errado. Ao se ver supostamente vítima dos fluidos desfavoráveis, esmurrou o chão. E ainda veio mais um lance desfavorável depois. Não há motivo para desespero, Messias. Uma noite para ser esquecida. Esqueça. Bola para frente.  

 Conclusão  

 Vi o Santos mais inteiro e mais veloz. Ainda assim, nem sempre foi o dono do jogo. O Ceará equilibrou em vários momentos. Não sei se estou equivocado: mas entendo que Jorginho se soltou mais, quando Vina foi substituído. E, na vitória sobre o Grêmio, jogo no qual Vina não atuou, Jorginho foi o melhor. Considero, porém, que há vaga para os dois. Questão de ajustes. Mote para Guto refletir.  

 Decisão  

 Agora o foco de tricolores e alvinegros é a decisão da vaga para continuar na Copa do Brasil. Estarão em jogo, além da vaga, R$ 2.700.000,00. Todo clássico, por sua essência, é imprevisível. Às vezes, os ranços do jogo anterior são transferidos para o jogo seguinte, mas isso é raro. Prefiro entender que cada clássico tem sua própria história, desvinculada de tudo o que já aconteceu. Esperemos, pois.

 



Assuntos Relacionados