Campeonato sobrevivente da Covid

cearense
Foto: Lenilson Santos/Ferroviário AC

De volta o Campeonato Cearense. É provável que, em vista da tamanha paralisação sofrida por esse certame, os próprios cearenses pouco saibam da atual situação. Só para aclarar: da fase classificatória, envolvendo Ferroviário, Pacajus, Atlético, Icasa, Caucaia, Crato, Guarany de Sobral e Barbalha, dois caíram para a Série B: Guarany e Barbalha.  Na segunda fase, ingressaram Fortaleza e Ceará. Nesta segunda fase, houve apenas uma rodada: o Fortaleza ganhou do Atlético (0 x 2), Caucaia ganhou do Pacajus (2 x 4), Crato ganhou do Icasa (1 x 0) e o Ferroviário ganhou do Ceará (2 x 1). Aí o certame foi paralisado por decisão governamental.

Agora, na retomada, a segunda rodada está assim: amanhã, Fortaleza x Caucaia; domingo, Crato x Ferroviário, Icasa x Atlético, Ceará x Pacajus. Pronto: creio que o torcedor tem assim uma ideia do atual estágio do Campeonato Cearense, um sobrevivente não apenas da Covid, mas também de outras pragas devastadoras como a indiferença, o descaso, a desídia e a inanição. Há um ditado que diz que pobre vive de teimoso. Aliás, um ditado infame e preconceituoso. Mas, no caso dos campeonatos estaduais, cabe bem: vivem e sobrevivem da teimosia. Não sei até quando.

Concorrentes

A sequência do Campeonato Cearense é um dos milagres que o futebol, nos seus segredos e bastidores, apresenta. Só mesmo uma explicação de mágicos para entender como, com tanta falta de incentivo, é possível encarar a concorrência da Copa do Nordeste, Copa do Brasil, Copa Sul-Americana e demais competições europeias mostradas pela televisão.

Espaço

No calendário esportivo nacional, os campeonatos estaduais estão cada vez mais apertados. Dão dois meses para resolver a questão. E pronto. Que cada um se vire nos trinta. Assim, cada vez mais enfraquecidos e desenganados, o futuro dos “estaduais” não tem nada de animador. São nebulosas as perspectivas. O desprestígio é visível. Lamentavelmente.

Torneio Início

A continuar o aperto no calendário, vão transformar os campeonatos estaduais em “Torneio Início”, ou seja, uma modalidade de competição que foi extinta, mas de grande valia até a década de 1960. Era o “festival” de abertura dos certames, no qual todos os times participavam em jogos eliminatórios de meia hora. Se empatar, pênaltis. Numa tarde/noite estava tudo resolvido.  

Pílulas

Amanhã tem decisão de Copa do Nordeste: Bahia x Ceará, primeiro jogo. Será em Salvador. Não tem favorito. Aliás, o Bahia em busca da desforra. De certa época para cá, o time baiano vem sofrendo seguidos insucessos diante do Vozão. Até já virou chacota em Salvador. Hoje me parece bem complicada a missão alvinegra, até mesmo pelo desgaste que o Vozão vem tendo.