A vantagem virou um tricampeonato muito justo para o Fortaleza

Leão enriquece sala de troféus após tirar proveito da vantagem do empate na final

Jogadores comemoram Fortaleza campeão 2021
Legenda: Leão garante mais um tri cearense
Foto: Fabiane de Paula/SVM

O Fortaleza, pelo terceiro ano consecutivo, fez a diferença. E enriqueceu a sala de troféus com mais um tri. Aliás, nos últimos 26 anos de disputa, desde quando começou o revezamento de títulos entre tricolores e alvinegros após o bi coral em 1995, este é o terceiro tri conquistado pelo Leão (2003/2004/2005; 2007/2008/2009; 2019/2020/2001). 

Há que se registrar um detalhe: ganhou o tetra, após o tri de 2009. No título presente, o Leão soube administrar bem seus objetivos. A liderança na segunda fase foi fundamental porque garantiu a vantagem do empate na decisão.

Assim, ontem disso tirou o melhor proveito: foi para o posto mais alto do pódio. Quanto ao jogo, um primeiro tempo de muita correria e pouca definição. Uma avalanche irritante de passes errados das duas equipes. E nenhum momento claro de gol. 

Na fase final, o Ceará adotou o que lhe cabia: subiu todo para buscar o resultado. Fez entrar Vina, Saulo, Vizeu e Cleber. O Fortaleza armou o bote com Romarinho e Crispim. Não funcionou, apesar dos espaços dados pelo Ceará. Mas o Leão soube bravamente segurar a pressão alvinegra nos 30 minutos finais, seguindo então para a justa comemoração.  

Treinador

Juan Pablo Vojvoda tem estrela. Chegou na reta final do campeonato. Conseguiu estimular o grupo, que estava oscilante e cabisbaixo. De certo modo, a sua pregação, querendo um time intensivo, surtiu efeito. Não que tenha transformado água em vinho. Não foi isso. Mas a vitória sobre o Ceará (2 x 0) e as goleadas Crato (6 a 1), Icasa (6 x 0) e Atlético (6 a 0) deram moral ao grupo. 

Reflexos 

Resta saber até que ponto a perda do segundo título em tão curto espaço de tempo poderá comprometer a confiança do Ceará. A derrota para o Bahia, na perda da Copa do Nordeste, gerou um desconforto muito grande. Agora, a perda do estadual não deixa de ter também a sensação de retrocesso. Caberá ao técnico Guto Ferreira segurar a situação momentaneamente desfavorável. 

Calendário desumano 

Uma classificação para a fase seguinte na Copa Sul-Americana amenizará sobremaneira os dois insucessos agora registrados. A liderança e permanência na competição internacional aliviará os atuais dissabores. Há que se reconhecer o verdadeiro massacre a que foi submetido o Ceará. Apesar da rotatividade realizada, não há elenco que suporte este calendário desumano. Um absurdo. 

Mais um 

Terminou o Campeonato Cearense 2021. Deus sabe como terminou. Foram paralisações demais. Algumas compreensíveis; outras, não. Um certame levado ao desprestígio que conduziu praticamente à falência os times médios e pequenos. Há que se repensar para os próximos anos. Se continuar assim, assistiremos ao funeral desse tipo de disputa que há algum tempo teve seus momentos de glória e esplendor.  



Assuntos Relacionados