Mais de 3.000 internos de presídios do Ceará receberão qualificação profissional

Ao todo, 3.600 detentos serão beneficiados com cursos profissionalizantes, informou a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP)

Legenda: Serão ofertados cursos de panificação, serralheria de metais ferrosos e marcenaria.
Foto: Divulgação/Governo do Estado

Mais de 3.000 internos do sistema penitenciário do Ceará receberão qualificação para o mercado de trabalho. De acordo com a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), os detentos serão capacitados em cursos profissionalizantes por meio do Projeto de Implantação de Oficinas Produtivas Permanentes em Estabelecimentos Penais (Procap) .

Financiado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), o Procap, de acordo com a SAP, capacitará 3.600 detentos de presídios cearenses. Nessa segunda-feira (21), houve o implementação do projeto na Penitenciária Francisco Hélio Viana de Araújo, localizada em Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

De acordo com a Secretaria, na unidade prisional de Pacatuba, 440 internos serão favorecidos com cursos de panificação, serralheria de metais ferrosos e marcenaria de móveis sob medida. Os módulos de ensino são realizados em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). 

Para o jovem José Valdeci, de 26 anos, interno da penitenciária de Pacatuba, a qualificação em um curso profissionalizante se traduz como uma garantia de mudar sua realidade após o cumprimento da pena. "Será um ponto importante para mim, e tenho certeza que lá fora a minha vida será diferente depois do que estou passando agora", diz.

Oportunidade

"Um certificado do Senai é muito importante para o mercado de trabalho e também para quem quer colocar um negócio próprio. Aproveitem isso com o corpo, alma, e tenho certeza que terão dignidade e respeito lá fora", afirmou Ricardo Cavalcante,  presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC). 

O secretário da SAP, Mauro Albuquerque, salientou que a iniciativa é um caminho para a profissionalização e ensino dos internos. "Peguem a oportunidade, aprendam mesmo, não só a capacitação, também a educação que está sendo oferecida aqui", apontou.

Quero receber conteúdos exclusivos do Dias Melhores