Irã pode ter derrubado avião ucraniano por engano, indica Trump

Queda de aeronave matou 176 pessoas

Legenda: Donald Trump confirmou suspeitas de que avião ucraniano foi abatido pelo Irã por engano
Foto: Foto: AFP

Autoridades dos Estados Unidos acreditam que o Irã derrubou acidentalmente um avião ucraniano, matando todas as 176 pessoas a bordo, informou a mídia americana nesta quinta-feira. 

A Newsweek, a CBS e a CNN citaram autoridades não identificadas dizendo que estão cada vez mais confiantes de que os sistemas iranianos de defesa aérea derrubaram acidentalmente a aeronave, com base em dados de satélite, radar e equipamentos eletrônicos.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, também disse nesta quinta-feira ter "suspeitas" sobre o acidente do avião ucraniano. 

"Tenho minhas suspeitas", disse Trump. 

"Estava voando em um bairro bastante difícil e alguém poderia ter se enganado", acrescentou.

"Algumas pessoas dizem que foi mecânico. Eu pessoalmente não acho que isso seja uma questão", disse Trump, acrescentando que "algo muito terrível aconteceu".

Legenda: Destroços do avião ucraniano nos arredores de Bagdá
Foto: Foto: AFP

Irã

Já as autoridades iranianas disseram nesta quinta-feira que "não faz sentido" os rumores de um ataque com míssil contra o avião ucraniano.

"Vários voos nacionais e internacionais estavam no espaço iraniano ao mesmo tempo à mesma altura de 8.000 pés, e essa história do ataque com mísseis no avião não pode estar correta", de acordo com um comunicado no site do ministério da Transporte do Irã. 

"Esses rumores não fazem sentido", acrescenta o texto, citando  Ali Abedzadeh, presidente da Organização de Aviação Civil Iraniana (CAO) e vice-ministro de Transportes. 

Abedzadeh reagiu aos rumores que circulam nas redes sociais, segundo os quais o Boeing 737 da Ukraine Airlines International teria sido atingido por um míssil lançado pela Guarda Revolucionária, o exército de elite iraniano.

Ucrânia

Na Ucrânia, o presidente Volodimir Zelensky decreteu dia de luto nacional e afirmou que "a prioridade é estabelecer as causas desta catástrofe".

O governo enviou 45 especialistas a Teerã para ajudar na investigação. 

"O avião desapareceu dos radares no momento em que atingiu uma altitude de 2.400 metros. O piloto não transmitiu nenhuma mensagem de rádio sobre circunstâncias incomuns", informou a CAO no primeiro relatório da investigação preliminar do acidente.

"De acordo com testemunhas oculares, houve um incêndio no avião que se tornou mais intenso", acrescentou o relatório publicado no site da CAO.

As testemunhas oculares citadas seriam pessoas em terra que observavam o avião decolar e outras que estavam em um avião que voava a uma altitude mais alta do que o Boeing no momento da tragédia.

"O avião que se dirigia, a princípio, para o oeste para sair da zona do aeroporto virou à direita, devido a um problema, e estava voltando para o aeroporto quando caiu", relatou a CAO.

O voo PS752 da UIA decolou às 6h10 (23h40 de terça-feira no horário de Brasília) do aeroporto Imam Khomeiny, de Teerã, com destino ao aeroporto Boryspil, de Kiev.

A CAO informou que realizou nesta quinta uma primeira reunião entre especialistas iranianos e ucranianos.

Caixas-pretas

Segundo Zelensky, os especialistas do seu país vão participar na decodificação das caixas-pretas e ficarão encarregados de identificar e repatriar as vítimas ucranianas.

As autoridades de Kiev anunciaram que trabalham com sete hipóteses, entre elas a de um disparo de míssil, atentado ou problema técnico.

Segundo a diplomacia ucraniana, havia 82 iranianos, 63 canadenses, dez suecos, quatro afegãos e três britânicos a bordo do Boeing. Outros 11 eram ucranianos, incluindo nove tripulantes.

A CAO indicou que 146 passageiros tinham passaporte iraniano; 10, passaporte afegão; cinco, passaporte canadense; quatro, sueco; e 11, ucraniano.

A diferença é explicada pela presença de inúmeras pessoas com dupla nacionalidade (entre elas, a priori, 140 iraniano-canadenses), que podem entrar e sair da República Islâmica apenas mediante a apresentação de seu passaporte iraniano.
 

Quero receber conteúdos exclusivos sobre o mundo

Assuntos Relacionados