NOVO REAJUSTE

Petrobras aumenta preço da gasolina em 2,25% nas refinarias

Combustível acumula alta de preço de 11,29% em um mês

Hoje, reportagem identificou o preço do diesel a R$ 3,99, como um dos mais altos identificados. No mesmo posto, o preço média da gasolina comum identificado em Fortaleza, apesar do novo reajuste aplicado pela Petrobras neste sábado. ( Cid Barbosa )
09:40 · 02.06.2018 / atualizado às 14:34

A Petrobras aumentou neste sábado (2) em 2,25% o preço da gasolina em suas refinarias. De ontem para hoje, o litro do combustível ficou 4 centavos mais caro, ao passar de R$ 1,9671 para R$ 2,0113, de acordo com a estatal.

Nesta manhã, a reportagem do Diário do Nordeste constatou que o litro da gasolina comum mais barato encontrado é o de R$ 4,77, o mesmo encontrado na verificação da última sexta. O valor mais alto chega ao patamar de R$ 4,899. Quanto ao diesel, hoje, os postos apresentavam a variação de R$ 3,75 e R$ 3,99.

Acúmulo salgado

Em um mês, o combustível acumula alta de preço de 11,29%, ou seja, de 20 centavos por litro, já que em 1º de maio, o combustível era negociado nas refinarias a R$ 1,8072. O preço do diesel, que recuou 30 centavos desde o dia 23 de maio, no ápice da greve dos caminhoneiros, será mantido em R$ 2,0316 por 60 dias.

Desde o início de maio, já foram anunciadas 14 altas e 6 quedas no preço da gasolina. Em 1 mês, o combustível acumula alta de 11,29% nas refinarias.

ARTE

Já o preço do diesel seguirá em R$ 2,1016 o litro nas refinarias até o dia 7 de junho, conforme foi acordado pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo Governo Temer, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias.

LEIA AINDA:
. Infraestrutura de transporte requer investimento de até 30 anos 
. Greve dos caminhoneiros expõe cobranças à classe política no País
. Reabastecimento de etanol em Fortaleza segue irregular
. Reclamações contra postos saltam 285%, diz Procon
. Distribuidoras afirmam que 'não há como' repassar corte

Política de preços

A Petrobras adotou novo formato na política de ajuste de preços em 3 de julho do ano passado. Segundo a nova metodologia, os reajustes acontecem com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar. Desde o início do formato, o preço da gasolina comercializado nas refinarias acumula alta de cerca de 50%.

Queda do presidente; Monteiro assume

As críticas à política de preços da Petrobras foi um dos fatores que provocaram a greve dos caminhoneiros e culminaram no pedido de demissão de Pedro Parente. Na última sexta-feira (1), o presidente Michel Temer anunciou Ivan Monteiro como novo presidente da estatal.

Aproveito para reafirmar que meu governo mantém compromisso da recuperação e saúde financeira da Petrobras. Portanto, continuaremos com a política econômica que, nesses dois anos, retirou a empresa do prejuízo. Declaro também que não haverá interferência na política de preços da companhia. E Ivan Monteiro é a garantia de que esse rumo permanece inalterado", declarou Temer.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.