Ceará no Kungfu Wushu: talento de sobra

Cearenses repercutem bom desempenho e títulos conquistados em mais uma competição nacional de Kung Fu

Eles prometeram e cumpriram a promessa de levar o nome do Ceará ao lugar mais alto do pódio no XXVIII Campeonato Brasileiro de Kungfu Wushu, realizado em Cuiabá/MT, no último mês de setembro. Rian Breno, Carlos André Sousa e Josineide Julião foram alguns dos que voltaram de lá com a sensação do dever cumprido.

Equipe destaca preparação e apoio para chegar ao topo na competição nacional realizada em Cuiabá/MT

Os atletas conversaram com a reportagem na tarde dessa segunda-feira, 2, durante treino na Academia Arfit, localizada no bairro Papicu, onde falaram sobre a importância das conquistas e a certeza de que a modalidade tem tudo para crescer ainda mais no cenário local, já que uma viagem para a China, berço do esporte, está programada para o início de 2018.

"Foi muito gratificante para todos nós. Tivemos uma participação excelente e um desempenho muito bom nessa competição. Isso irá nos render bons frutos daqui pra frente. O Ceará mostra, mais uma vez, que é forte nesta arte marcial, sendo o Estado do Nordeste que conseguiu a melhor colocação entre os demais", disse Josineide Julião, que além de atleta (conquistou uma medalha de ouro e outra de prata) também é vice-presidente da Federação Cearense de Kung Fu Wushu.

Um dos mais satisfeitos é Rian Breno, que faturou o título na categoria Wushu Sanda. Feliz pelo resultado, ele comemora não só a vitória, mas a chance de adquirir mais conhecimentos fora do País. "Não estou desmerecendo meu adversário, mas eu sempre confiei no meu potencial. Tive uma preparação muito boa, tanto na parte física, onde a gente treina aqui na Arfit, como também na parte técnica, na minha equipe (Zona de Combate). E quero aproveitar essa oportunidade de treinar na China para aprender novas técnicas e um pouco mais da história do Kung Fu Wushu", disse.

Experiência

Para Carlos André Sousa, que se sagrou pentacampeão brasileiro de Kung Fu Wushu Moderno, o feito da equipe é considerado um passo importante para o aperfeiçoamento da arte marcial no Ceará.

"A seleção cearense retomou suas atividades competitivas e em outros anos não se tinha um time com uma qualidade tão considerável como esse de agora. Nessa competição, o Estado do Ceará teve um desempenho bastante interessante, tanto no Wushu Tradicional, no Sanda e Moderno. Nosso objetivo é transformar cada vez mais em um potencial de qualificação e performance técnica de alto rendimento em todos os departamentos. Isso foi fundamental para alcançarmos o objetivo", ressaltou o medalhista.

Apoio

O bom desempenho da equipe cearense é fruto de um longo ciclo de trabalho e preparação. Neste sentido, os treinos se dividiram em duas etapas. Neste sentido, a parte física e técnica são pontos essenciais a serem destacados. É o que destaca Ozéias Oliveira, técnico do campeão Rian Breno.

"Treinamos diariamente e dividimos a preparação em duas fases, sendo cada uma em dias diferentes na semana. Tem a parte técnica, que é trabalhada com os demais membros da equipe Zona de Combate, e realizamos a parte física aqui na ArFit, que nos proporciona uma estrutura excelente. Esse apoio foi importante para que atletas como o Rian chegassem na competição em alto nível", destacou.

No quadro geral de medalhas da competição, o Ceará figura na 10ª colocação, sendo que, por região, o Estado ficou em 1º lugar. No total, os representantes cearenses competiram com mais de 400 atletas de 18 estados e conquistaram cinco medalhas de ouro, seis de prata e quatro de bronze.

Quero receber conteúdos exclusivos de esporte