cooperativa

Serviço com vans estimula competição

01:00 · 29.08.2018
VAN
Coopervans conta com 20 cooperados, 16 veículos rodando e cinco linhas ativas otimizando o fluxo na Caucaia, na região metropolitana ( FOTO: ALEX COSTA )

Diante de uma realidade com poucas linhas de ônibus e horários que beneficiassem a população de Caucaia, uma  criada em 2001 e que saiu do papel efetivamente em 2004 ajudou a mudar a realidade local mostrando a força do transporte alternativo. A Cooperativa de Transportes Alternativos em Vans de Caucaia (Coopervans) acabou, de acordo com o presidente da organização, Ricardo Oliveira, forçando o transporte convencional da região a ser mais eficiente para ampliar a competitividade ante o transporte alternativo. Nesta disputa, o consumidor sai vitorioso.

Leia mais:

> Cooperativa de crédito planeja abrir mais 15 agências no Ceará 
> Iniciativa com mulheres proporciona 'renascimento'
 
"O sistema convencional tinha poucas linhas e o alternativo tinha mais horários, mais pontos de embarque e desembarque. O alternativo ia aonde o ônibus não passava. Tivemos que aumentar a frota. Fomos peça fundamental na melhoria do transporte", explica Ricardo Oliveira.

Além da mudança na oferta do serviço de transporte prestado por outras organizações que não eram cooperativas, Ricardo destaca a geração de emprego. "A categoria conta com muitos pais de famílias, pessoas que direta e indiretamente sobrevivem da atividade", destaca.

Desafios

Mas nem sempre foi assim. Antes de a cooperativa de transportes efetivamente sair do papel, enfrentou desafios, que, assim como no nascimento de uma empresa convencional, existem, mas em contrapartida, é proporcionalmente dividido entre os cooperados, que assumem dores e vitórias da atividade.

"A cooperativa surgiu da necessidade de organização de alguns motoristas autônomos que queriam alcançar objetivos de forma coletiva e em condição igualitária", diz. A Coopervans conta, atualmente, com 20 cooperados, quatro funcionários e 18 veículos, sendo dois veículos reserva, operando cinco linhas.

Agora, está entre os desejos dos cooperados expandir cada vez mais as atividades. "Queremos veículos para fretamento, turismo e ampliar a nossa operação nossas linhas", acrescenta Ricardo Oliveira.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.