Controle das contas

Rumo ao amadurecimento financeiro

23:30 · 17.11.2012
Pesquisas realizadas com os consumidores indicam que estes estão preocupados em honrar dívidas e se planejar

Mesmo com os índices de endividamento (57,6%), dívidas em atraso (14,7%) e de inadimplentes (3,7%) ainda relativamente altos em Fortaleza, as taxas registradas em novembro deste ano foram as menores em 13 meses, segundo a Pesquisa Perfil de Endividamento do Consumidor, realizada pelo Banco do Nordeste e pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio (IPDC), órgão ligado à Federação do Comércio do Estado (Fecomércio - CE).

Para especialistas em educação financeira, o Brasil começa a viver um processo de amadurecimento no que diz respeito ao consumo, mas ainda há quem extrapole o orçamento com frequência FOTO: BRUNO GOMES

Esses dados podem ser interpretados como um indicativo de que o consumidor local está se preocupando mais em honrar suas dívidas e em planejar melhor a aplicação dos seus rendimentos. "A gente percebe que há um esforço muito grande das famílias para ter um orçamento mais controlado, o que vai contra a compra por impulso", enfatiza o economista Alex Araújo.

A opinião é reforçada pelo consultor financeiro do programa Consumidor Consciente da MasterCard, Ricardo Pereira, para quem o Brasil vive hoje um processo de amadurecimento no que diz respeito ao consumo. "O brasileiro está cada vez mais gostando do planejamento financeiro, principalmente os jovens. Acredito que, em cinco ou dez anos, o planejamento financeiro será mais forte na vida dos brasileiros", afirma.

Planejamento

Outro dado que demonstra uma maior preocupação dos brasileiros com o planejamento financeiro é apontado pela consultoria Nielsen, que realizou um levantamento no qual 49% dos consumidores do País revelaram levar uma lista de compras ao supermercado. Os dados demonstram que as pessoas estão mais planejadas e também sugerem uma redução nas compras por impulso.

Para a professora do curso de Economia Doméstica da Universidade Federal do Ceará, Helena Selma Azevedo, levar uma lista de compras ao supermercado contribui para evitar gastos desnecessários. "Com uma lista, o consumidor não compra o que ele já tem em casa, não adquire o que não precisa e resiste mais aos apelos ao consumo. Outra coisa importante é estabelecer um limite de gastos para as compras", argumenta.

Peso do cartão

Segundo a pesquisa do IPDC,, em novembro, o instrumento de crédito mais utilizado pelos fortalezenses com dívidas foi o cartão de crédito (79,8%). Já os itens mais comprados a prazo foram os alimentos. Com as ceias de Natal e Ano Novo, além das férias e de outras comemorações de fim de ano, a tendência é que as despesas com alimentação cresça ainda mais. Contudo, realizar essas compras a prazo ou parcelá-las pode ser um risco.

"As compras que são feitas todo mês, como supermercado, não devem ser parceladas. O ideal é não deixar para pagar no mês seguinte. Ao desdobrar essas despesas mensais em duas ou três vezes, por exemplo, a pessoa pode acabar consumindo mais do que o necessário e criar uma bola de neve de dívidas", afirma Helena Selma.

Apesar dos avanços já percebidos, os brasileiros ainda precisam amadurecer mais com relação ao uso do dinheiro e planejar melhor suas entradas e saídas de recursos.

Uma pesquisa da Triad Productivity Solutions, empresa especializada em produtividade e colaboração, mostra que o planejamento financeiro é a segunda atividade mais adiada pelos brasileiros (46,8%), atrás apenas da realização de exercícios físicos (68%). Para realizar bem essa atividade, que pode garantir a realização de sonhos maiores no futuro, como uma viagem ao exterior ou uma pós-graduação, por exemplo, é preciso atitude e muita disciplina.

DHÁFINE MAZZA

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.