Mostra Caged

Ceará gera 133 postos de trabalho em junho, após 3 meses de saldo negativo

Agropecuária foi o setor em que houve o maior saldo positivo de postos de trabalho formal

15:50 · 17.07.2017 / atualizado às 16:46
Carteira de trabalho
Em todo o Brasil, foram abertas 9.821 vagas de emprego formal em junho ( Foto: Valdecir Galor/SMCS )

Após três meses de saldos negativos (março, abril e maio), o Ceará teve, entre demissões e contratações, um saldo positivo de 133 postos de trabalho formal no mês de junho, mostra o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta segunda-feira (17) pelo Ministério do Trabalho

As aberturas de vagas ocorreram principalmente no setores da agropecuária (246), comércio (149), serviços industriais de utilidade pública (134) e serviços (31). 

Em todo o Brasil, foram abertas 9.821 vagas de emprego formal em junho. O resultado decorre de 1.181.930 admissões e 1.172.109 demissões. A geração líquida de 9.821 vagas de emprego em junho foi o primeiro resultado positivo para o mês desde 2014.

Esse foi o terceiro resultado positivo seguido no País. No acumulado do primeiro semestre de 2017, há uma abertura de 67.358 postos de trabalho com carteira assinada. Nos 12 meses até junho, há fechamento de 749.060 vagas.

O resultado mensal no Brasil também foi puxado pela agropecuária, que gerou sozinha 36.827 postos formais em junho. Em seguida, teve desempenho positivo o setor de administração pública, com geração de 704 vagas. 

Por outro lado, tiveram saldo negativo comércio (-2.747 postos), construção civil (-8.963 vagas), indústria extrativa mineral (-183 postos), serviços industriais de utilidade pública (-657 postos), indústria de transformação (-7,887 postos), comércio (-2.747 postos) e serviços (-7.273 postos).

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.