'Conversas Avançadas'

Boeing e Embraer podem fechar acordo ainda neste ano, diz ministro da Defesa

No final do ano passado, a empresa aérea Boeing manifestou intenção de adquirir a Embraer, fabricante brasileira de aviões

O ministro interino garantiu que não houve recuo nas tratativas, que tiveram início no ano passado ( Foto: Divulgação )
17:56 · 08.05.2018 por Folhapress

O ministro interino da Defesa, Joaquim Silva e Luna, disse, nesta terça-feira (8), estar otimista com as negociações para uma possível associação entre as empresas Embraer e Boeing e estimou que um acordo pode sair ainda neste ano.

Ele afirmou que as empresas buscam um caminho de ganha-ganha e que as conversas estão avançadas. As informações são da Agência Brasil.

"[A negociação] Está em fase avançada. É coisa para este ano", disse o ministro, no Rio de Janeiro, durante a solenidade de entrega da Medalha da Vitória, que faz parte das comemorações pelo triunfo das nações aliadas contra o nazismo, na Segunda Guerra Mundial.

Silva e Luna garantiu que não houve recuo nas tratativas, que tiveram início no ano passado. Ele ressaltou a necessidade de se preservar o braço estratégico da fabricante nacional, que tem acordos com as Forças Armadas.

No final do ano passado, a empresa aérea Boeing manifestou intenção de adquirir a Embraer, fabricante brasileira de aviões. À época, o presidente Michel Temer afastou a possibilidade de venda da empresa por uma questão de soberania nacional. "Toda parceria é bem-vinda. O que não está em cogitação é a transferência do controle", disse.

Segurança

O ministro também avaliou a situação da segurança pública no Rio de Janeiro durante a intervenção federal. Segundo ele, já era esperada uma reação do crime organizado às ações de fiscalização nas fronteiras.

"Isso [a fiscalização nas fronteiras] não é muito visível porque não está acontecendo no Rio, mas sufoca o crime. Por isso, talvez, esse aumento momentâneo de enfrentamentos, assalto a caixa de bancos, enfrentamento entre quadrilhas ocorram porque está secando um pouco a sua fonte".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.