fixa

Número de lares com acesso à banda larga avança 24,4%

01:00 · 07.07.2018
Image-0-Artigo-2423698-1
No ano passado, o serviço estava presente em 25,40 de cada 100 domicílios cearenses, segundo dados da Anatel ( FOTO: KID JÚNIOR )

A banda larga esteve presente em 25,40 de cada 100 domicílios cearenses em 2017. O número representa um crescimento de 24,4% em comparação com 2016, quando o serviço estava em média em 20,41 de cada 100 casas. Os resultados fazem parte do Relatório Anual divulgado pela Anatel e constatam uma elevação ainda na base de assinantes. Esse aumento também foi confirmado pelos dados gerais do País.

"Da mesma forma que em 2016, em 2017 a banda larga fixa foi, novamente, o único serviço de interesse coletivo a registrar crescimento da base de assinantes. Na comparação com 2016, o crescimento foi de 7,2%. O acréscimo de 1,9 milhão de acessos resultou em aumento de 2,5 pontos percentuais na densidade do serviço, que alcançou a marca de 41,4 acessos por grupo de 100 domicílios", avaliou.

LEIA AINDA: 

> Confira perfil do setor de telecomunicações no CE e no Brasil
> CE detém maior rede de fibra ótica do Nordeste; celular atende a 94%
> 41 cidades do Ceará não possuem tecnologia 4G 
> Hub tecnológico: fibra ótica em 80% dos municípios 
> Data Center: Angola Cables inicia pré-venda da 2ª fase

Regiões

De acordo com projeções da Anatel, o número de acessos da banda larga fixa tende a continuar crescendo nos próximos anos, o que vai ao encontro do estudo realizado pela Agência em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que buscou identificar o mercado potencial de banda larga no Brasil. "Até 2021, a quantidade de acessos à banda larga fixa deve alcançar 37,6 milhões, volume 31,1% superior ao registrado no final de 2017. A Região Norte era a que possuía, no final de 2017, o menor número de acessos à banda larga fixa: apenas 3,7%, embora concentrasse 8,6% da população. O Sudeste, por outro lado, respondia por 57,5% dos acessos ao serviço", relatou o documento da Agência.

Ainda segundo o relatório da Anatel, o Nordeste foi a região que registrou, entre 2016 e 2017, maior incremento do indicador de densidade, embora possua a menor densidade do serviço (19,9 acessos por grupo de 100 domicílios).

"O menor aumento (4,2%) foi registrado no Sudeste, que permanecia com a maior densidade da banda larga fixa. Roraima foi o único Estado em que, na comparação com 2016, não houve aumento da densidade da banda larga fixa: o indicador permaneceu inalterado, com 23,9 acessos para cada grupo de 100 domicílios", informou.

De acordo com a publicação, o Maranhão (13,4) e o Pará (14,7) eram, no fim do exercício, os estados com menor densidade do serviço. O Distrito Federal, com 69,7 acessos para cada grupo de cem domicílios, era a Unidade da Federação que, proporcionalmente, à população, concentrava maior quantidade de acessos.

Escolas

Importante e necessária para o ensino, a banda larga nas escolas públicas urbanas do Ceará teve incremento de apenas 0,17% na quantidade de instituições de 2016 para 2017. No ano passado, eram atendidas 2.387 escolas urbanas, enquanto no ano imediatamente anterior eram 2.383. Segundo o documento da Anatel, a velocidade média da internet nestas escolas era de 3,87Mbps.

Em relação às escolas públicas rurais do Estado, houve crescimento de 0,48% no número de instituições atendidas por banda larga. O relatório da Agência informou ainda que foram no ano passado 2.488 escolas contra 2.476 de 2016. Ao todo, foram beneficiados 369.677 alunos cearenses. (HRN)

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.