Eólica: fechado contrato entre Servtec e Suzlon - Negócios - Diário do Nordeste

Na serra da ibiapaba

Eólica: fechado contrato entre Servtec e Suzlon

03:17 · 20.12.2012

Empreendimento terá capacidade para abastecer duas vezes o total de municípios da Serra da Ibiapaba

Mais um parque eólico deve começar a ser construído no Ceará no próximo ano. O Grupo Servtec e a Suzlon Energia Eólica do Brasil assinaram ontem um contrato para a engenharia, construção e montagem do Parque Bons Ventos da Serra, com capacidade de 24 megawatts (MW), localizado na Serra da Ibiapaba, no município de Ibiapina, a 360 quilômetros da Capital Cearense.


Empreendimento é mais um a integrar o já forte parque de energia eólica do Ceará, considerado um dos principais do País FOTO: WALESKA SANTIAGO

"Em janeiro, tínhamos assinado um termo de intenção para desenvolver esse projeto. Para assinar o contrato, levou muito mais tempo do que a gente imaginava, pois houve muita negociação. Somente a quantidade de páginas do contrato ultrapassava 600", afirma o diretor do grupo Servtec, Pedro Fiúza.

A partir da assinatura, a expectativa é de que as obras sejam iniciadas no segundo trimestre do ano. "Devemos ter licença de instalação no primeiro trimestre e, na sequência, o início da obra no segundo trimestre de 2013", completa Fiúza.

Capacidade

A Bons Ventos da Serra é uma sociedade de partes iguais entre o Grupo Servtec e o FIP Energia, gerido pela Rio Bravo Investimentos. A empresa venceu a primeira etapa (24 MW) de um cluster eólico com capacidade total de 412 MW.

De acordo com Fiúza, com a capacidade a ser operada na primeira fase, é possível abastecer duas vezes o número total de municípios localizados na Serra da Ibiapaba.

O contrato firmado estabelece que a Servtec Energia será responsável pelo desenvolvimento dos trabalhos de engenharia do proprietário e do gerenciamento de obras, enquanto a Suzlon responderá pelo fornecimento e comissionamento dos aerogeradores, serviços de construção civil e eletromecânica.

Operação

De acordo ainda com Fiúza, a conclusão das obras está prevista para o segundo trimestre de 2014. Já a operação deverá ser iniciada logo em seguida.

Investimento

Um total de R$ 85 milhões é o montante a ser investido no empreendimento, dos quais cerca de 70% serão financiados pelo Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ao final de todas as etapas construídas, o montante total de gastos será de R$ 1,5 bilhão.

Energia solar

Em 2013 a Servtec deve dar o pontapé inicial nos investimentos em energia solar. "Pretendemos implantar um projeto de 30 MW para ser explorado em 2014 ou 2015", completa Pedro.

ANA BEATRIZ SUGETTE
REPÓRTER