Gestão Ambiental

Bolsa de Resíduos da Fiec já é uma referência nacional

02:13 · 29.10.2008
( )
Uma das maiores dificuldades das indústrias é dar o destino correto a resíduos sólidos como plásticos, papel, madeira, borracha, metal, vidros e cerâmicas. No Ceará, uma solução que se mostra viável, tanto para o meio ambiente, quanto para as empresas, está na Bolsa de Resíduos e Negócios, mantida pelo Instituto Euvaldo Lodi do Ceará (IEL/CE), ligado à Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Trata-se de um espaço de compra e venda do material que se baseia em prestar serviço de informações através da Internet. A idéia é identificar mercados potenciais, estimular o aproveitamento econômico e difundir a importância da Gestão Ambiental. O programa existe desde 2001.

Atualmente, 375 empresas estão cadastradas, a maioria de pequeno porte. São Paulo está na frente, com 112 empresas. O Ceará, em segundo, tem 69.

As indústrias podem se vincular a seis categorias: madeira e mobiliário, metálicos, papel/papelão, petroquímica/química/farmacêutica, plásticos e têxtil/confecções. Há ainda um cadastro para compra/venda e aluguel de máquinas e equipamentos industriais usados.

Atualmente na quinta edição, o Prêmio Fiec por Desempenho Ambiental objetiva reconhecer o esforço de empresas que tenham se destacado na conservação do meio ambiente e na implementação da qualidade ambiental.

A comenda é dividida em quatro categorias: Reúso de Água, Produção Mais Limpa, Integração com a Sociedade e Educação Ambiental. Cada empresa pode concorrer com um projeto por modalidade de seleção.

De acordo com Renato Aragão, coordenador do Núcleo de Meio Ambiente (Numa) da Fiec, as ações são hoje exigência do mercado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.