Egídio Serpa: Sefaz, um modelo equivocado