Egídio Serpa: Lei da irresponsabilidade