PRESENTE DA MAMÃE

Vendas diretas crescem 40%

01:56 · 08.05.2010
( )
Depois do Natal, o Dia das Mães é a melhor data para quem trabalha com vendas diretas. Projeções são otimistas

O Dia das Mães é a melhor data do ano, depois do Natal, para quem trabalha com vendas diretas, especialmente para revendedores de produtos da linha de cuidados pessoais, categoria que responde por 88% das empresas do setor. Nessa época do ano, além de atenderem pedidos feitos com antecedência nos catálogos, os consultores preparam seus estoques visando os clientes que deixam tudo para a última hora. As vendas de maio chegam a representar 50% da renda de revendedores que possuem outras atividades profissionais, em paralelo. A perspectiva é ampliar as vendas do período em pelo menos 40% face a outros meses e até 30% na comparação com o ano passado.

Em contínua expansão, o segmento de vendas diretas cresceu 18,4% em volume de negócios no Brasil em 2009 na comparação com 2008, somando um volume de negócios de R$ 21,8 bilhões. Os números são da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABVD), que também contabilizou elevação na quantidade de representantes. No ano passado o número de revendedores cresceu 17,7% em relação a 2008, totalizando 2,377 milhões no País..

Líder no setor no país, com uma força de vendas formada por mais de um milhão de consultoras e consultores - 875 mil no Brasil e 160 mil no exterior -, a Natura é grande responsável pelo incremento das vendas diretas no Brasil. "Os consultores são nosso principal elo com nossos consumidores finais. São eles os principais divulgadores das nossas crenças e acreditamos no seu potencial empreendedor. Por isso fazemos constantes investimentos em sua capacitação e motivação", afirma Luis Bueno, Diretor Regional da companhia.

Há mais de 10 anos vendendo produtos Natura, Ana Paula Cândido da Silva, sabe bem a força que a venda direta representa em seu orçamento, principalmente em datas como o segundo domingo de maio. "Normalmente um terço da minha renda vem das vendas da Natura, mas quando chega o Dia das Mães essa atividade chega a representar metade do que ganho no mês", afirma. Este ano, Paula aguarda incremento de 30% sobre as vendas da mesma data, em 2008. Em relação aos demais meses do ano, a consultora aposta que irá faturar em maio no mínimo 40% a mais.

"É que além dos pedidos feitos antecipadamente pela revista, muita gente me procura para comprar produtos às vésperas da data. Alguns até no mesmo dia. Por isso, além dos kits padronizados, que custam em média R$ 80,00, sempre estoco muitos produtos, que vendo individualmente ou em kits exclusivos montados de acordo com a escolha do cliente. Tenho opções de presentes a partir de R$ 15,00", explica.

Negócio em casa

Também com estoque garantido para os clientes que deixaram o presente para a última hora, a revendedora Avon, Edna Carvalho da Silva, pretende atender até no domingo.

"As vendas do Dia das Mães ainda não dispararam para mim esse ano. Acredito que meus clientes vão me procurar até na data. Na lojinha que eu montei na minha casa, fiz um bom estoque de mercadoria e vou abrir também no domingo. Vou atender até pedidos por telefone para entrega em domicílio", assegura a revendedora.

Há mais de oito anos trabalhando com Avon, a revendedora hoje sobrevive só com o seu próprio negócio. Segundo ela, no início, quando trabalhava numa empresa, vendia Avon para os colegas. Depois, com o crescimento das vendas e pensando em conciliar seu trabalho com as obrigações familiares, optou por montar sua loja em casa, sem deixar também, as vendas nas residências dos clientes.


ÂNGELA CAVALCANTE
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.