PORTO DO MUCURIPE

Terminal turístico vai custar R$ 150 milhões

01:40 · 14.08.2009
( )
O terminal de passageiros será construído para atender os turistas da Copa do Mundo de 2014

Em meio a controvérsias sobre a viabilidade de instalação de um estaleiro para construção de navios de grande porte na enseada do Mucuripe, mais precisamente na Praia do Titanzinho, o ministro-chefe da Secretaria Especial dos Portos, Pedro Brito, anunciou, ontem, investimento de R$ 150 milhões para construção de um novo terminal para atracação de navios de passageiros, no Porto do Mucuripe, o que poderá ampliar as discussões sobre a implantação do novo empreendimento - já denominado Estaleiro Ceará. Em execução, "o projeto básico do novo terminal deverá está pronto até o meio do ano de 2010, para que seja licitado ainda no próximo ano", sinaliza o ministro.

"O porto pode e deve vir a ter um novo terminal de passageiros. Diante da Copa do mundo, Fortaleza precisa desse terminal para receber os turistas e até mesmo para funcionar como hotel", defendeu Pedro Brito, na tarde de ontem, após receber homenagem do Conselho Regional de Economia (Corecon-CE), em comemoração do Dia do Economista. Segundo o ministro, a projeção é de que a obra fique pronta em dois anos, em 2012, "muito antes da Copa de 2014".

Conforme explicou, o terminal de passageiros de transatlânticos deve funcionar como um aeroporto, com as mesmas regras de segurança, conforto e sistemas de distribuição e recepção de bagagens e de atendimento de passageiros. "Além disso, temos que melhorar toda a parte urbanística e os acessos (viários), para garantir maior conforto aos visitantes", disse Pedro Brito. Ele informou que os recursos para as obras serão federais e que já estariam previstos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Questionado sobre a instalação do terminal em área próxima à que será construído o Estaleiro Ceará, o ministro evitou polemizar o assunto". Não conheço o projeto. Até agora não me foi apresentado um", respondeu. Para ele, a viabilidade ou não vai depender do tipo de estaleiro que está sendo planejado."Precisamos conhecer o projeto, para conciliarmos todos esses interesses", declarou.

Em Fortaleza, onde participa hoje, de reunião dos presidentes dos Conselhos de Autoridades Portuárias (CAP), o diretor presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro, Jorge Luiz de Mello, explica que, normalmente, esses tipos de equipamentos são instalados em áreas separadas, distantes um do outro. Ele alerta que um estaleiro é como uma grande oficina ou fábrica para reparos ou consertos de navios e que a sua instalação deve ser bem zoneada.

Ele esclarece no entanto, que não há impedimento legal para tanto e que até mesmo questões alfandegárias e fiscais já estariam equacionadas, de forma que peças e equipamentos para estaleiros e navios já podem ser importados através de terminais de passageiros.

Dragagem

Além do novo terminal, Pedro Brito informou ainda, que até o fim deste mês, será lançado o novo edital para dragagem do Porto do Mucuripe. Orçadas em R$ 62 milhões, as obras devem ser iniciadas, segundo prevê Pedro Brito, em dezembro ou janeiro próximos.

Com a dragagem, projeta o ministro, o terminal portuário do Mucuripe terá sua capacidade de carga ampliada em 30%. A obra consta do alargamento de 150 para 160 metros dos canais de acesso interno e externo e aprofundamento dos atuais 11 metros, em média, para 14 metros de profundidade. No total serão dragados 5,94 milhões de metros cúbicos de areia. O alargamento será feito com a retificação do traçado do porto, tornando-o retilíneo em toda a sua extensão.

CARLOS EUGÊNIO
REPÓRTER

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.