reforma da Previdência

Temer faz apelo por aprovação

01:00 · 02.12.2017
Image-0-Artigo-2332136-1
O presidente Michel Temer afirmou, em vídeo, que vem trabalhando para convencer os parlamentares

Rio. Em meio à ofensiva para conseguir votos para aprovar a reforma da Previdência, o presidente Michel Temer divulgou, nessa sexta-feira, um vídeo nas redes sociais no qual faz um apelo ao Congresso Nacional para que a proposta seja aprovada. Temer diz que vem trabalhando para "convencer" deputados e senadores a votar a matéria, o que seria, segundo ele, "pelo bem de todos". "Trabalho para convencer os companheiros do Congresso Nacional, que muito têm auxiliado o governo, a votar essa matéria pelo bem de todos", disse o presidente.

O peemedebista elencou projetos já aprovados pelo governo e os bons resultados na economia, mas afirmou que "falta agora a Reforma da Previdência". Temer disse que a mudança no sistema previdenciário combate privilégios e é "uma reforma para o povo". "Falta agora a Reforma da Previdência, fundamental para garantir a continuidade desse crescimento que já está aí. É uma reforma para o povo, porque combate privilégios e mantém os direitos de quem já se aposentou ou mesmo de quem já tem condições para aposentar-se. Não muda nada para o trabalhador rural, nem para os mais pobres, nem para os que dependem da assistência social".

Para aprovar a Reforma, por se tratar de uma Proposta de Emenda à Constituição, o presidente precisa de ao menos 308 dos 513 votos da Câmara dos Deputados. O Palácio do Planalto trabalha para votar o primeiro turno da matéria no dia 13 de dezembro, e o segundo turno, também na Câmara, na semana seguinte, provavelmente no dia 20. É consenso entre ministros e assessores que, se a proposta não for votada pelos deputados ainda este ano, ela não será mais aprovada em 2018. Temer corre contra o tempo para convencer parlamentares a votarem a favor da Reforma da Previdência.

LEIA AINDA:

> Previdência: nova versão de regras obriga a repensar o futuro 
> Impacto da Reforma gera divergências 
> 'Não é justo usar R$ 1,5 bi para 60 mil servidores' 
> Trabalhador deve se planejar para complementar a renda

 

 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.