Mobilização

Motoristas de van escolar alertam para "colapso" do serviço na terça-feira

Sindicalista alerta que a crise de abastecimento do diesel pode deixar vans sem combustível, obrigando a categoria a paralisar o transporte de crianças às escolas a partir da próxima terça-feira, no Ceará

10:54 · 26.05.2018 / atualizado às 15:38
diesel
Vans escolares fizeram mobilização neste sábado com buzinaços em Fortaleza, em adesão ao movimento de caminhoneiros ( VC Repórter )
Os motoristas de van escolar do Ceará  aderiram ao movimento nacional dos caminhoneiros, fizeram mobilização, na manhã deste sábado, e alertam que, a partir da próxima terça-feira (29), podem paralisar o transporte de alunos com o "colapso" no abastecimento de combustíveis.
 
Segundo o Sindicato das Empresas, Micro-Empresas e dos Transportadores Autônomos de Escolares do Estado do Ceará (Setrece), a mobilização foi iniciativa de proprietários de vans da Messejana. Um comboio saiu do estádio Castelão, passou pelo aeroporto e se uniu ao bloqueio dos caminhoneiros no Cais do Porto. Outra frente de motoristas se dirigiu à BR-116, no trecho de Itaitinga (a 30 km da capital), levando alimentos para os manifestantes.
 
"Desde quinta-feira, os transportadores escolares começaram a aderir ao movimento, primeiro em São Paulo, e agora do Norte ao Sul do Brasil", informa o assessor sindical da entidade no Ceará, Roberto Monteiro.
 
São cerca de 900 vans escolares cadastradas em Fortaleza. Na mobilização deste sábado, foram cerca de 50 veículos que participaram do ato, com direito a buzinaços e sinalização com pisca-pisca de luz. Outras 50 vans se deslocaram até Itaitinga.
 
"Queremos chamar atenção para o impacto do diesel em nossa atividade: temos enfrentado reajuste diário de 1% no preço. Não temos como repassar esse aumento para nossos clientes, os pais das crianças que transportamos", afirma Monteiro.
 
A previsão do sindicalista é que, no Ceará, só resta combustível para abastecer as vans até a próxima terça-feira.
 
"Prevemos um colapso a partir de terça. Seremos obrigamos a paralisar o transporte escolar se nada for feito para resolver a crise", alertou Monteiro.
 
Ele disse que as mobilizações da categoria são pacíficas e que a entidade encaminhou uma pauta de reivindicações para as instâncias municipal e estadual, que incluem isenção de tributos como o IPVA e o ISS.
 
"Cerca de 90% das vans do transporte escolar são movidas a diesel", estima o assessor sindical.
 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.