DATA COMEMORATIVA

Marcas criam ações de marketing para o Dia Internacional da Mulher

Uma data que carrega muito simbolismo e que tem rendido bastante para empresas e marcas

Dona da marca Barbie, a Mattel investiu em novas bonecas que fazem referência a mulheres reais que se destacaram ou usam acontecimentos como gancho
01:00 · 12.03.2018 por Valerya Abreu - Colunista
Anúncio da rede de lanchonetes McDonald´s criado para celebrar o Dia Internacional da Mulher, com o famoso M de cabeça para baixo, um W, de women

Muitas marcas celebraram o Dia Internacional da Mulher com ações, anúncios, eventos e até produtos, marcando a data com posicionamentos e merchandisings, pegando carona num momento em que as atenções, e emoções, estão voltadas para esse foco e em que os temas do universo feminino se evidenciam. 

Algumas marcas locais e, outras globais, foram mais longe e ousaram de forma contundente, como fez o McDonald´s, tradicional rede de lanchonetes americana, ao inverter seu mundialmente famoso símbolo, o arco dourado, transformando-o em um W, de "woman", mulher em inglês. A mudança pôde ser vista nas páginas da empresa nas redes sociais, e especificamente em um restaurante da marca, localizado na cidade de Lynwood, no estado da Califórnia, nos EUA. Além disso, 100 restaurantes da marca ganharam embalagens e uniformes especiais para homenagear as mulheres. Em nota, o diretor de diversidade da empresa, Wendy Lewis, comentou que a inversão do logo - até então inédito na história da empresa - diz respeito às "extraordinárias conquistas das mulheres ao redor do mundo". Segundo ele, a cadeia de lanchonetes "tem um longo histórico de apoiar e incentivar as mulheres em cargos de gestão nas empresas. A companhia lembra que, nos EUA, 6 de cada 10 gerentes de restaurantes são mulheres.

Neste momento em que o tema do empoderamento das mulheres pega carona em uma série de campanhas de marketing (os anúncios do prêmio Oscar deste ano do Nest e do Twitter aproveitaram bem o mote), não chega de todo a surpreender que as marcas tenham abraçado iniciativas similares em torno dessa data. 

Além do McDonald's, a Mattel também foi destaque com o lançamento de campanhas e produtos. Com base no sucesso do recente lançamento de uma Barbie com estilo hijab, a Mattel está lançando bonecas com base em 17 modelos históricos e atuais de vários segmentos e histórias. De acordo com pesquisas da própria Mattel, 81% das mães se preocupam com referências e modelos para suas filhas. Nesse contexto, novas bonecas foram feitas à semelhança do snowboardista olímpico Chloe Kim e outros, enquanto uma nova série inspiradora inclui a artista mexicana Frida Kahlo e a aviadora Amelia Earhart.

Destaque também para o Google, que criou um Doodle compartilhando histórias femininas e contribuições importantes. Enquanto isso, a marca global de coworkings WeWork hospedou eventos gratuitamente do Dia da Mulher em Nova York. 

Uma vez que 1,7 milhão, ou 87%, de seus vendedores de mercado são mulheres, Etsy, marca que é uma espécie de e-commerce onde só são comercializados produtos handmade, peças vintage e pequenas marcas consideradas super criativas do mundo,com mais de 800.000 lojas on-line e 15 milhões de itens exclusivos, encontrou boas razões para também celebrar a data. A marca com sede no Brooklyn estreou sua primeira campanha de marketing integrante, que inclui mensagens digitais, onde "mulher" substitui "homem" em palavras como "manmade" e uma landing page destacando lojas e produtos feitos por mulheres. Toda a produção foi doméstica. 

Já a marca de tennis americana Vans, criada na Califórnia em plenos anos 60 e envolvida com a cultura ligada ao skate e com a evolução do esporte, continua a campanha "This Is Off the Wall" na Índia, destacando a opressão das meninas em um novo vídeo de 60 segundos. No local, os atletas Lizzie Armanto e Atita Verghese mostram às meninas indianas como andar de skate. 

Considerado um defensor de longas datas da diversidade e da paridade no local de trabalho entre homens e mulheres, a gigante da tecnologia HP lançou um curta, também sobre uma menina indiana que "sonha com uma caneta" e a sua professora que a ajuda a ser uma escritora. A marca também desenvolveu uma iniciativa de sete meses com o Girl Rising incentivando os participantes a contarem histórias de igualdade.

Já o feed sem fins lucrativos anti-fome está lançando a próxima interação de sua campanha "Mulher em uma missão" com uma série de sacolas desenhadas em colaboração com Arianna Huffington, o poeta Cleo Wade, o designer Ulla Johnson e o cozinheiro Julia Turshen, além de uma campanha, incluindo mulheres, com conteúdo concentrado nas mídias sociais.

Enquanto isso, a frente da agência inglesa Ogilvy partiu para uma linha de inspiração, tentando "nutrir a próxima geração com uma série de dicas e takeaways para mulheres mais jovens”. As executivas femininas da Ogilvy usaram os canais de mídia social para contar suas histórias sobre como navegar no local de trabalho, oferecendo conselhos, usando os hashtags #PressforProgress e #WomenofOgilvy. A agência também planeja hospedar um painel em Nova York sobre questões de gênero enfrentadas pela própria indústria de anúncios.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.