Com 54 projetos, CE é 3º em oferta de energia - Negócios - Diário do Nordeste

EÓLICAS EM LEILÃO

Com 54 projetos, CE é 3º em oferta de energia

00:36 · 09.08.2011
( )
Pioneiro na geração de energia eólica, Ceará perdeu projetos nos últimos leilões, mas agora mostra recuperação ( FOTO: KID JÚNIOR )

Atrás de Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul, Estado habilita 1.299 megawatts em leilão de energia de reserva e A-3

O Ceará habilitou 54 projetos de usinas eólicas para os leilões de Energia de A-3 e de Reserva de 2011, que serão realizados pelo Governo Federal nos dias 17 e 18 de agosto visando ao atendimento do mercado consumidor do País a partir de 2014.

O resultado fica atrás do Rio Grande do Norte, que habilitou 75 projetos de energia eólica, e do Rio Grande do Sul, com 57. No total, vão participar das licitações 321 empreendimentos, que somam capacidade instalada de 14.083 MW, sendo 240 ligados à força dos ventos.

A fonte eólica apresenta a maior quantidade de projetos e de oferta habilitados, com capacidade total de 6.052 MW.

Para o presidente da Câmara Setorial de Energia Eólica da Adece (Agência de Desenvolvimento do Ceará), Adão Linhares, o resultado "está dentro do esperado". "Estes são os principais estados na geração de energia eólica", afirma. O Ceará tinha 67 projetos cadastrados, segundo ele, e habilitou 54.

"Não há uma disputa entre os estados",avalia Linhares. "Este resultado representa uma recuperação significativa do Ceará em relação aos problemas com as questões ambientais. Este, na verdade, é um problema geral. Ocorre em todos os estados. É o caso da Bahia, que tinha cadastrado cerca de 1.500 MW, mas só habilitou 756".

Outras fontes

Além das eólicas, os leilões terão a participação de projetos de termelétricas movidas à biomassa (principalmente de cana-de-açúcar), térmicas a gás natural e pequenas centrais hidrelétricas, além da ampliação da usina hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira. O Leilão de Energia A-3 ocorrerá no dia 17 e será aberto a todas as fontes cadastradas. O de Reserva, a ser realizado no dia seguinte, será voltado exclusivamente para eólica e biomassa. A maior parte dos 321 projetos habilitados pela EPE se cadastrou para ambos.

O gás natural aparece mais fortemente no Rio de Janeiro e no Maranhão. São Paulo apresenta maior oferta de projetos térmicos movidos à biomassa. "O fato de o Brasil ser um país continental permite que cada região contribua com um energético específico", destaca o presidente da EPE, Mauricio Tolmasquim.

No caso do A-3, o início da geração dos projetos que se sagrarem vencedores é 1º de março de 2014, enquanto os empreendimentos que vencerem a disputa no Leilão de Reserva terão que iniciar a geração em 1º de julho do mesmo ano. Os editais dos leilões estão disponíveis no site da Agência Nacional de Energia Elétrica.

Novas fábricas

A Suzlon Energia Eólica do Brasil, subsidiária brasileira do grupo Suzlon, e a fabricante independente Aeris assinaram parceria para o estabelecimento de uma linha de fabricação de pás eólicas no Brasil. As atividades de implantação já foram iniciadas no Ceará e as primeiras unidades devem estar prontas em janeiro de 2012.

A Suzlon será responsável pelos investimentos relativos a maquinário, moldes das pás, equipamentos auxiliares, treinamento e suporte técnico, projeto de engenharia e processo de certificação de qualidade, totalizando investimento aproximado de R$ 10 milhões. A Aeris ficará responsável pela construção da área industrial dedicada, já em andamento, no porto de Pecém e responderá pela fabricação, contratação de pessoal das linhas de produção, processos administrativos e engenharia de processos.

CAROL DE CASTRO
REPÓRTER