Banco Palmas fará câmbio para turistas - Negócios - Diário do Nordeste

copa das confederações

Banco Palmas fará câmbio para turistas

01.06.2013

Três hotéis da Beira-Mar deverão receber a moeda do Conjunto Palmeiras durante a Copa das Confederações

De olho na Copa das Confederações, o Banco Palmas - instituição comunitária do Conjunto Palmeiras - vai possibilitar a troca de dólar, euro e real pela moeda do bairro: a palmas. A partir do próximo dia 14 junho, haverá um estande no Aeroporto Internacional Pinto Martins para realizar o câmbio, onde também será possível ter acesso à programação no Grande Jangurussu durante o evento esportivo.

A palmas é uma moeda fornecida pelo banco comunitário do Conjunto Palmeiras e que circula pelo bairro. O objetivo é que turistas brasileiros e estrangeiros utilizem a moeda durante o evento esportivo na Capital FOTO: SILVANA TARELHO

Segundo o coordenador do Banco Palmas, Joaquim Melo, está sendo fechado contrato com três grandes hotéis da Avenida Beira-Mar para o recebimento da moeda, e com outras empresas do setor turístico, como uma cooperativa de táxi. Ele destaca que o objetivo é fortalecer e mostrar a importância da moeda para a economia da região, assim como transformar o bairro em ponto de passagem dos turistas, com foco na Copa do Mundo de 2014.

Com o intuito de receber os visitantes, estarão disponíveis guias turísticos fluentes em inglês, espanhol e francês. "Vamos mostrar tudo de bom de Fortaleza, que também tem na periferia, gerando emprego, renda e desenvolvimento para quem precisa. Também estamos nos preparando para a Copa do Mundo, para ficarmos mais fortalecidos", afirma Joaquim Melo. A ideia, segundo ele, é tornar a Copa democrática, estimulando a economia não só dos grandes empreendimentos, mas também dos bairros mais pobres.

Para isso, estão sendo preparados uma série de eventos para a programação formada pela comunidade, que irá incluir viagem, no dia 22 de junho, com duas opções de destino aos turistas: o município de Irauçuba ou de Acarape. "Irauçuba, que é uma das cidades mais pobres do Ceará, tem um artesanato forte e atrai pela cultura regional, com museus. Em Acarape, vamos passar pelo museu dos escravos e por festivais de quadrilha", diz.

Além da viagem, Joaquim destaca que a programação conta com uma tenda cultural, com a apresentação de grupos de dança, venda de comidas regionais e de produtos da Palma Fashion - marca do bairro que produz confecções. Os eventos ocorrerão entre os dias 15 e 27 de junho, em frente ao Banco Palmas, na Avenida Val Paraíso, 698.

Foram realizados festivais de culinária cearense como forma de preparar a comunidade para a Copa das Confederações Foto: Divulgação/Instituto Palmas

"Estamos trabalhando para tornar um atrativo turístico e temos apoio de ONGs internacionais e da Fundação do Ronaldo Fenômeno", afirma o coordenador. Em janeiro deste ano, o ex-jogador esteve no Conjunto Palmeiras para apoiar a iniciativa.

Segundo Joaquim, a comunidade também irá tentar levar Ronaldo novamente ao bairro, para mostrar os trabalhos durante a Copa das Confederações. Ele afirma que os interessados ainda podem se credenciar para trabalhar no período.

Moeda solidária

A moeda que circula no Conjunto Palmeiras é complementar ao real. A palmas é produzida em papel moeda, marca d´água, código de barra e número serial, para evitar falsificação. A circulação é livre no comércio local e possibilita desconto ao consumidor - como forma de incentivar o uso. Dentre os benefícios do banco comunitário, está a possibilidade de acesso ao crédito com juros mais baixo e o fortalecimento da economia da região.

Ponto turístico

"Vamos mostrar tudo de bom de Fortaleza, que também tem na periferia, gerando emprego, renda e desenvolvimento"

Joaquim Melo
Coordenador do Banco Palmas

GABRIELA RAMOS

REPÓRTER

Táxis 10,5% mais caros ainda em junho

Com o reajuste já acertado entre a Prefeitura e o sindicato da categoria, o aumento dos trajetos entra em vigor assim que a medida for publicada no Diário Oficial, o que deve acontecer antes da Copa das Confederações Foto: Silvana tarelho

Os viajantes que decidirem visitar Fortaleza durante a realização da Copa das Confederações - que terá sua primeira partida na Capital no dia 19 deste mês - provavelmente terão que pagar mais caro caso queiram se locomover de táxi. É que, conforme o Sindicato dos Taxistas e Transportadores Autônomos de Passageiros do Estado do Ceará (Sinditáxi-CE), um reajuste de 10,5% está previsto ainda para junho e, ao que tudo indica, deve se concretizar antes do evento da Fifa.

"A nossa proposta inicial era que o reajuste fosse de 17%, mas, no decorrer das negociações com a Prefeitura de Fortaleza, a categoria entrou em consenso e decidiu aceitar a elevação de 10,5%. O próprio secretário de Conservação e Serviços Públicos, João Pupo, fez o anúncio durante a Fenatáxi (Feira Nacional dos Taxistas) e a expectativa é que a medida entre em vigor antes da Copa das Confederações", explica o presidente do Sinditáxi, Vicente de Paulo.

Com o reajuste já acertado entre a Prefeitura e o sindicato da categoria, o aumento nos trajetos de táxi entra em vigor assim que a medida for publicada no Diário Oficial do Município. A reportagem procurou a Empresa de Transportes Urbanos de Fortaleza (Etufor)para saber mais detalhes sobre uma possível data do reajuste, mas a companhia não deu um resposta.

Como ficam as tarifas

Com o aumento de 10,5% entrando em vigor, a bandeirada (valor fixo que é pago ao entrar no carro) dos táxis de Fortaleza passará a custar R$ 4,00, um preço R$ 0,38 mais caro do que os atuais R$ 3,62.

O reajuste também vai impactar sobre o que é pago por quilômetro rodado. No caso da bandeira 1, praticada nos dias úteis, de 6h às 20h, e sábados, de 6h às 13h, o custo passará de R$ 1,81 para R$ 2,00. Para a bandeira 2, que entra em vigor em dias úteis, de 20h às 6h, a partir das 13h nos sábados, assim como em domingos, feriados e durante todo o mês de dezembro, o valor do quilômetro será R$ 3,12 (atualmente o preço é de R$ 2,83).

Para Vicente de Paulo, o reajuste acontecerá para corrigir uma defasagem de quase dois anos. "A última vez que houve mudança nos valores cobrados pelos taxistas foi em junho de 2011. Nesse período, tivemos diversas altas em peças automotivas e nos combustíveis, por exemplo, o que nos fez batalhar por esse aumento", comenta o presidente do Sinditáxi.

Aumento da frota

Vicente também informou que um aumento da frota de táxis da Capital já está encaminhado. Atualmente, a cidade conta com 4.392 profissionais licenciados em atividade, mas ainda há bairros com carência de veículos.

"Já houve uma licitação para a abertura de 490 novas vagas de táxi em Fortaleza. A previsão é que, até julho, o edital saia para que as pessoas possam concorrer", diz Vicente de Paulo. "Bairros como Cidade dos Funcionários, Barra do Ceará e Messejana ainda apresentam muitos reclamações de consumidores que não conseguem encontrar taxistas pela área", acrescenta.

Qualificação

Sobre a preparação dos taxistas para os grandes eventos internacionais que estão chegando em Fortaleza, o presidente do Sinditáxi garantiu que os profissionais estão se qualificando para melhor receber os visitantes. "De dois em dois meses buscamos cursos que possam ajudar na relação com os turistas. Ser educado, andar bem vestido e saber o básico de inglês e espanhol são apenas algumas atitudes que estamos cobrando dos profissionais", conclui Vicente.

ÁQUILA LEITE

REPÓRTER




Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999