Egídio Serpa: Camilo: sonho e realidade