Para 150 mil m³ por dia

Usina de biometano já planeja ampliar produção em 2019

Unidade vai retirar gás metano do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia e enviar para Cegás

Inauguração do equipamento contou com a presença do governador Camilo Santana e do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio e empresários
01:00 · 17.04.2018 por Bruno Cabral - Repórter

Com uma produção inicial de 80 mil m³ de gás metano por dia, a Gás Natural Renovável Fortaleza (GNR Fortaleza), inaugurada na manhã de ontem (16), inicia suas operações como a maior usina de biometano do Brasil. E, até o início do próximo ano, a unidade deve ter sua capacidade de produção ampliada para 150 mil m³ diários. A planta, que retira gás metano do Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (ASMOC), é a primeira do País a distribuir gás renovável para indústrias, comércios e residências, por meio da Companhia de Gás do Ceará (Cegás).

"Somos a primeira empresa do Brasil a entregar gás renovável para o consumidor", destacou o governador Camilo Santana, durante a cerimônia de inauguração. O Governo do Estado avalia replicar a iniciativa nos municípios de Sobral, Limoeiro do Norte e na região do Cariri. "Estamos investindo em torno de R$ 45 milhões em um aterro consorciado em Sobral, envolvendo 15 municípios. Estamos investindo mais de R$ 40 milhões em outro aterro consorciado em Limoeiro do Norte, com 11 municípios da região. Então temos um grande potencial", disse o governador.

A Cegás, responsável pela distribuição do insumo, investiu cerca de R$ 25 milhões na construção de um gasoduto de 23 quilômetros de extensão. Durante a solenidade de inauguração, o prefeito Roberto Cláudio disse que a Prefeitura estuda a viabilidade de utilizar o gás produzido no aterro em parte da frota de ônibus urbanos de Fortaleza. "O que estamos vendo é que se abre um grande universo de possibilidades para esse tipo de inovação", disse.

O projeto

A usina que converte o biogás de resíduos urbanos em gás natural recebeu um investimento de R$ 100 milhões da Ecometano, empresa pioneira na especificação de biogás oriundo do lixo. O projeto foi concebido em parceria com a Marquise Ambiental, responsável pela coleta de lixo na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).

De acordo com a Biometano, o novo aterro sanitário que está sendo construído pela Marquise Ambiental, ao lado da usina, irá garantir a operação da usina por mais 15 ou 20 anos.

O aterro sanitário de Caucaia recebe diariamente três mil toneladas de resíduos sólidos domiciliares. Com a instalação da GNR Fortaleza, além da produção de biometano, será possível evitar a emissão de mais de 500 mil toneladas de gás carbônico na atmosfera. Atualmente, há apenas um projeto no País inteiro, localizado no Rio de Janeiro, com autorização da Agência Nacional do Petróleo e Biocombustíveis (ANP) para injetar biogás na rede pública estadual.

"Esse é um projeto que transforma o Ceará em um estado de ponta quando se fala em resíduos sólidos no Brasil. E isso só é possível com a junção do Estado, Prefeitura, e a empresa que tem a responsabilidade de gerir os resíduos sólidos da cidade", afirmou o diretor-presidente da Marquise Ambiental, Hugo Nery, durante a inauguração.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.