CONTRATO ASSINADO

Pecém II: Eneva compra 100% das ações da Uniper

O negócio ainda precisa ser aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica

01:00 · 13.03.2018

A Eneva, detentora de 50% da termoelétrica Pecém II, anunciou, ontem (12), a aquisição de 100% das ações detidas pela Uniper Holding GmbH na Pecém II Participações, por R$ 50 milhões. O contrato de compra e venda foi assinado na última sexta-feira (9) e está sujeito à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

A companhia disse que, por enquanto, não pode detalhar a operação, pois está passando por um período de silêncio. "Na quinta-feira (15), nosso CEO, Pedro Zinner, vai comentar os resultados da Eneva em 2017, falar do planejamento estratégico da companhia para 2018, e deve dar mais detalhes sobre a aquisição de Pecém II", informou.

A Pecém II utiliza carvão mineral para geração de energia elétrica e possui capacidade instalada de 365 MW, o que contribui com o abastecimento do subsistema Nordeste. A usina fica localizada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), que produz volume de energia equivalente a 60% do consumo do Ceará, e a 10% do consumo do Nordeste.

A térmica cearense está disponível para atender à demanda do Operador Nacional do Sistema (ONS) e, agora, está gerando em sua capacidade plena.

No Ceará, a companhia possui uma usina de energia solar, no município de Tauá, com 1MW de capacidade instalada.

Segundo o último balanço divulgado pela Eneva, referente ao 3º trimestre de 2017, a companhia teve um Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado de R$ 371 milhões, crescimento de 16% em relação a igual período de 2016. Os investimentos no 3º trimestre de 2017 cresceram 27% na comparação com igual trimestre do ano anterior.

Em relação à receita líquida, a Eneva obteve crescimento de 77% no 3º trimestre em relação trimestre imediatamente anterior, passando de R$ 486 milhões para R$ 858 milhões. Na comparação com o 3º trimestre de 2016, a companhia cresceu 37% em receita líquida.

Negócios

A Eneva ainda possui um parque de geração térmica com 2,2 GW de capacidade instalada, sendo 1,4 GW a gás natural (67% ) e 725 MW a carvão mineral (33%) no Maranhão. É a terceira maior empresa em capacidade térmica do País, responsável por 11% da capacidade térmica a gás instalada nacional.

Na parte de óleo e gás, é a maior operadora privada de gás natural do Brasil, com capacidade de produção de 8,4 milhões de m³ por dia. A Eneva opera mais de 40 mil km² de área na Bacia do Parnaíba, no Maranhão, operando em 12 blocos de gás natural.

A companhia tem sete campos declarados comerciais: cinco deles em produção (Gavião Real, Gavião Vermelho, Gavião Branco, Gavião Caboclo e Gavião Azul) e dois em desenvolvimento (Gavião Preto e Gavião Branco Norte). A Eneva tem sete Planos de Avaliação de Descoberta, sete blocos exploratórios adquiridos na 13ª Rodada de Licitações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2015, e cinco blocos adquiridos na 14ª Rodada de Licitações, em 2017.

"O gás não-associado onshore é mais competitivo em termos de custo de descoberta, desenvolvimento e produção por metro cúbico, resultando na geração de energia com custos mais atrativos para o sistema elétrico brasileiro", informou a empresa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.