MAIS CANAIS DE ATENDIMENTO

Caixa quer tornar crédito imobiliário menos burocrático

Banco começou a desenvolver um projeto para permitir que os clientes tenham acesso ao serviço pelo celular

01:00 · 07.09.2018 por Lígia Costa - Repórter
Image-0-Artigo-2450337-1
Ao longo deste ano, a Caixa deve aplicar cerca de R$ 85 bilhões em habitação ( FOTO: HONÓRIO BARBOSA )

A Caixa Econômica Federal quer modernizar e desburocratizar o financiamento imobiliário no Brasil. Para isso, começou a desenvolver este ano um projeto que vai permitir ao cliente ter acesso ao serviço via celular. A previsão é que a ferramenta seja finalizada e disponibilizada ao público até o fim de 2019.

"Vários testes estão sendo feitos este ano pela Caixa e acreditamos já ser possível realizar o financiamento imobiliário pelo celular, pela internet, a partir do segundo semestre do ano que vem", estima o vice-presidente interino de Habitação da Caixa, Paulo Antunes de Siqueira, ressaltando que o prazo estipulado é "conservador".

Com essa previsão, a novidade poderia ser disponibilizada antes mesmo do prazo padrão, anunciou Siqueira ontem (6), durante o 27º Congresso Nacional de Corretores de Imóveis (Conaci), no Centro de Eventos.

Ele veio a Fortaleza falar para mais de 600 corretores de imóveis de todo o Brasil sobre "Crédito e Financiamento Imobiliário", representando o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza.

Questionado sobre o tipo de plataforma de acesso, se funcionará exclusivamente no site da Caixa ou por meio de um aplicativo específico, garante que vai se configurar em "todos os meios disponíveis e possíveis". "Eu diria que a esteira está pronta, só que precisamos testar a modelagem (do projeto) com bastante tranquilidade porque trata-se de crédito imobiliário e isso tem uma magnitude em todo o País".

A instituição bancária já oferece outros vários serviços de habitação acessíveis pelo celular e também pelo site, como a mudança de data de pagamento do financiamento, amortização de parte do saldo devedor, emissão de boletos, e até mesmo a simulação do valor pelo cliente para saber se o financiamento cabe ou não no seu orçamento.

Simulação

Inclusive, de acordo com o vice-presidente de habitação da Caixa, a procura pelo serviço de simulação de financiamento imobiliário pelo site cresceu neste ano. De janeiro a junho de 2018, foram contabilizadas 50 milhões de simulações, enquanto no primeiro semestre do ano passado, foram 45 milhões. A meta da Caixa é fechar 2018, ultrapassando as 100 milhões de simulações realizadas em 2017.

"Já passamos das 52 milhões (de simulações), mas se ficarmos o ano inteiro com esse número já seria um indicador extremamente positivo para o País. Já seria muito dinheiro e muitos sonhos realizados", conta.

Etapas de segurança

A burocracia existente hoje no processo de aprovação de crédito para um financiamento imobiliário, conforme Paulo Antunes de Siqueira, ainda "se faz necessária", tendo em vista que existem muitas etapas de segurança - alheias ao banco - a serem adotadas. E isso acontece mesmo quando o imóvel não é financiado. "Você tem prefeitura, tem cartório, os nomes dos vendedores e compradores, etc. A Caixa pode aprovar seu crédito no dia, se você entregar todos os documentos necessários e a gente pode te dar o valor na hora. São fatores que protegem, sobretudo, o cliente", diz.

Orçamento cumprido

O orçamento disponível para a Caixa Econômica Federal investir em todas as linhas de crédito de habitação em 2018, algo em torno de R$ 85 bilhões, está sendo devidamente cumprido conforme o previsto no fim de 2017, garante Paulo Antunes de Siqueira. O montante é "similar" ao aplicado no ano passado, que foi de R$ 86 bilhões.

"Acredito que este ano vamos realizar esse orçamento com sucesso porque a gente já percebe melhorias no mercado imobiliário com o aumento das vendas a nível Brasil. Aqui no Ceará, não diferente do restante do País, as grandes parcerias que a Caixa tem como o mercado imobiliário permite a realização de muitos negócios", afirma.

Opinião

Juros menores e mais dinheiro para financiar

André Montenegro - Presidente do Sinduscon

Os bancos estão focando muito agora em desburocratização no acesso ao crédito imobiliário e isso é muito bom. Todos os bancos estão com taxas de juros interessantes e muito dinheiro para financiar, mas o cliente ainda está muito reticente para comprar o seu imóvel. Nós vivemos o melhor momento para comprar imóvel porque há ofertas interessantes das construtoras e ainda porque há ofertas de financiamento abundantes.

No intuito de impulsionar vendas logo depois das eleições, vamos realizar, de 22 a 25 de novembro, no RioMar do Papicu, o Feirão do Sinduscon. As construtoras estão todas preparadas para fazer lançamentos, muitas já estão prontas para lançar, só não lançam porque o mercado ainda está querendo vender os estoques e é isso que vamos fazer com o Feirão.

Nosso estoque ainda está em 7,5 mil unidades, mas queremos baixar para algo em torno de 4 mil.

É irreversível acontecer lançamentos no próximo ano. Tem que ter. Caso contrário, para tudo. E esse Feirão vem para dar uma mexida muito grande no mercado. As pessoas vão comprar porque vão ter ofertas muito interessantes.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.