FIDELIZAÇÃO

'Benefícios não deveriam expirar'

01:00 · 05.08.2017
Image-0-Artigo-2278825-1
De acordo com a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização, as empresas têm investido constantemente em ações que incentivem o resgate

Um dos maiores inconvenientes enfrentados por consumidores cadastrados em programas de vantagem é o período de validade de um ou dois anos do benefício, que muitas vezes é insuficiente para que algumas pessoas consigam acumular o bastante para resgatar produtos de maior valor agregado, como passagens aéreas. No entendimento da Associação de Consumidores Proteste, o uso dos pontos acumulados deveria ser ilimitado.

 
 
 

De acordo com Renata Pedro, representante da entidade, a maior parte das ações de consumidores na Justiça contra os programas de fidelidade dizem respeito justamente ao tempo de expiração dos pontos acumulados para a troca de produtos. "Nós acreditamos que os pontos são um ativo do consumidor e que não devem expirar, não teria o porquê isso acontecer. A gente briga na Justiça por isso", aponta a representante.

Por meio de nota, a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (Abemf) informou que o objetivo de todo programa de fidelidade é o acúmulo e a troca de pontos/milhas por produtos e serviços. "A realização do resgate por parte dos clientes é muito mais vantajosa para as companhias do setor do que a expiração. Somente desta forma é que o participante descobrirá os reais benefícios da fidelização e aumentará seu engajamento", disse.

Resgate

É por esse motivo, segundo a associação, que todas as empresas associadas têm investido constantemente em ações que incentivem o resgate. "Exemplo disso, é o aumento das opções de troca, que hoje vão desde de passagens aéreas a produtos de consumo diário como alimentos e combustível, o envio frequente de comunicados sobre a data de expiração dos pontos/milhas, além de promoções que permitem a reativação do saldo expirado", destaca.

A nota da Associação informa ainda que, de acordo com estudo realizado pela consultoria de marketing GS&MD a pedido da Abemf, o número de milhas/pontos expirados nos programas de fidelidade das empresas associadas tem se mantido estável nos últimos meses, por volta de 17% do total emitido, que está em linha com mercados mais maduros. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.