Violinista de Pacatuba faz 'vaquinha' para estudar em escola de música no Texas

Lucas Raulino, que já tocou na Orquestra Contemporânea Brasileira, tem que ter pelo menos R$ 30 mil para bancar os seis primeiros meses nos Estados Unidos

Escrito por Luana Severo,

Verso
O violinista Lucas Raulino segura um violino em frente a uma árvore. Ele está em um parque e usa camisa vermelha de botão.
Legenda: Lucas Raulino é de Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza.
Foto: Arquivo pessoal

O destino de Lucas Raulino, 29, é movido pela música desde que ele tinha 12 anos. Natural de Pacatuba, na Região Metropolitana de Fortaleza, o violinista já estudou em São Paulo, na França e, recentemente, foi aprovado para um programa de mestrado na Texas Christian University, uma escola de artes renomada nos Estados Unidos.

Contudo, embora tenha conseguido bolsa de estudos e um desconto de US$ 10 mil no pagamento do curso, o cearense precisa comprovar para a universidade que tem condições financeiras de arcar com os custos de viagem, visto, moradia e alimentação. Para os seis primeiros meses nos EUA, ele precisa ter em conta em torno de R$ 30 mil.

“Preciso comprovar que tenho esse dinheiro e tenho que fazer isso o mais rápido possível”, apela o músico, que iniciou uma campanha de financiamento coletivo nas redes sociais para angariar o investimento.

Segundo Lucas, a estrutura da Texas Christian University é uma das melhores do continente norte-americano e sua vaga foi conquistada após recomendações de professores importantes, que acreditam em seu potencial e têm se empenhado em garantir que o pacatubense se aperfeiçoe nos estudos do instrumento. “É uma grande universidade, não quero perder essa chance”, diz.

Carta da Texas Christian University.
Legenda: Cearense foi aprovado para um programa de mestrado na Texas Christian University.
Foto: Print/Arquivo pessoal

Trajetória na música

Lucas gosta de música desde criança. Ele conta que via o irmão tocar diversos instrumentos em casa e  queria aprender a tocar um que fosse diferente de todos os que já tinha visto.

Foi assim que, aos 12 anos, quando a Prefeitura de Pacatuba abriu inscrições para cursos de música, ele escolheu o primeiro que fosse “diferente” e que as aulas fossem durante a semana. “Me inscreve aí”, disse ele para a atendente do projeto. Calhou de ser violino e de ele ter se apaixonado pelo instrumento.

O jovem começou a tocar profissionalmente aos 16 anos. Participando de festivais e concertos, logo foi notado por professores que reconheceram seu talento e o estimularam a estudar nas mais renomadas escolas. Foi então que, contrariando a família, que não queria que ele saísse de casa, ele se submeteu a uma seleção de intercâmbio para estudar violino na França. Passou e lá ficou por quase um ano. “Era uma imersão”, lembra.

Depois de voltar para o Brasil, o violinista quis se graduar em música. Aproveitando que tinha familiares em São Paulo, mudou-se para a capital paulista e lá trabalhou até conseguir uma vaga na universidade federal, a USP, onde estudou e tocou em várias orquestras.

Lucas se formou em 2019 e voltou para Fortaleza logo depois. Contudo, na capital cearense, não encontrou muito trabalho no ramo, especialmente devido à pandemia de Covid-19.

“Em junho [do ano passado], comecei a tocar na Orquestra Contemporânea Brasileira, daqui do Ceará. Na época, só estava liberado para fazer concertos online. Fizemos uns quatro”, recorda. Depois disso, o violinista ficou novamente desempregado.

Lucas Raulino toca no festival Jazz & Blues, em Guaramiranga. Ele está de máscara contra a Covid-19.
Legenda: O violinista tocou no Festival Jazz & Blues deste ano de 2022.
Foto: Arquivo pessoal

Em fevereiro deste ano, ele começou a lecionar em projetos de música nas cidades de Varjota e Ibiapina, semelhantes ao que o inseriu na música no início dos anos 2000.

Até que, em abril, pensando em estudar fora do País, um professor o apresentou a uma professora da Texas Christian University, que o aprovou quase que de imediato — depois, Lucas também foi aceito por uma comissão de outros professores da instituição.

Minha vida é movida pela música desde cedo e eu estou aguardando o próximo embarque”.
Lucas Raulino
Violinista

Financiamento coletivo

Lucas iniciou uma campanha de arrecadação de recursos online. Ele precisa de R$ 30 mil “o mais rápido possível” para comprovar para a universidade do Texas que tem condições de se bancar nos Estados Unidos e para viajar para o Consulado Geral dos EUA em Recife em busca do visto.  

Isso tudo antes do dia 15 de agosto, quando ele deve desembarcar no país estrangeiro. O semestre letivo tem início no dia 23 desse mês.

Saiba como ajudar

Instagram: @lucas.raulino 
Pix: lucasraulino93@gmail.com