“Uma Noite em Miami”, o inusitado encontro de titãs dirigido por Regina King

Produção concorre em três categorias do Oscar 2021 e pode ser vista no catálogo da Amazon Prime

A estrela de futebol americano Jim Brown (Aldis Hodge), o cantor Sam Cooke (Leslie Odom Jr.),  o ativista Malcolm X (Kingsley Ben-Adir) e o boxeador Cassius Clay (Eli Goree)
Legenda: A estrela de futebol americano Jim Brown (Aldis Hodge), o cantor Sam Cooke (Leslie Odom Jr.), o ativista Malcolm X (Kingsley Ben-Adir) e o boxeador Cassius Clay (Eli Goree)

O relato cinematográfico é ficção. Já o legado destes nomes é verídico. Muhammad Ali (1942-2016), Malcolm X (1925-1965), Sam Cooke (1931-1964) e Jim Brown construíram suas histórias em diferentes campos de atuação como o esporte, política e as artes. 

Em paralelo às jornadas individuais, ambos testemunharam um período chave no tocante à luta pelo movimento dos direitos civis nos EUA. Estreia da atriz Regina King na direção de longas, “Uma Noite em Miami” (2020) especula o que essas mentes conversariam acerca dos dilemas de seu tempo.

O filme pode ser assistido no catálogo da Amazon Prime. Elogiado pela crítica, concorre a três estatuetas no Oscar 2021: "Melhor Ator Coadjuvante" (Leslie Odom Jr), "Melhor Roteiro Adaptado" e "Melhor Canção Original". O encontro "imaginário" refirma o poder do cinema de unir fantasia e reflexão.

O roteiro é assinado por Kemp Powers e se baseia na peça homônima de teatro lançada por ele em 2013. Powers vive outro bom momento no mercado com o trabalho realizado na animação “Soul” (ler crítica aqui). Ele é corroterista e codiretor do recente sucesso da Pixar.  

Celebração 

É 25 de fevereiro de 1964. Em um modesto quarto de hotel estão o cantor e compositor Sam Cooke (Leslie Odom Jr.), o ativista político Malcolm X (Kingsley Ben-Adir), a estrela de futebol americano Jim Brown (Aldis Hodge) e o boxeador Cassius Clay (Eli Goree).  

Cassisu Clay na luta que valeu o título mundial de boxe
Legenda: Cassius Clay na luta que valeu o título mundial de boxe

Cerca de algumas horas antes, Clay derrotou o temido Sonny Liston (1932-1970) e dominou o cinturão do mundial de pesos pesados. A obra de King reimagina uma ocasião na qual os quatro personagens celebram o título. "Uma Noite em Miami" ilumina a jornada e o que cada uma destas biografias representa. 

O ano em questão seria decisivo para o quarteto. Além do título,  Clay renasceria enquanto Muhammad Ali. Em dezembro, Sam Cooke seria assassinado em circunstâncias até hoje questionadas

Choque de opiniões, vivências e posturas marcam o encontro dos quatro
Legenda: Choque de opiniões, vivências e posturas marcam o encontro dos quatro

Algumas semanas à frente, Malcom X tombaria morto. Jim Brown deixou A NFL de lado e investiu no cinema. “Rio Conchos”, primeiro trabalho como ator, foi às telonas em 1964.  Ele se destacaria em outras atuações, como é o caso de "Os Doze Condenados" (1967) e "Slaughter - O Homem Impiedoso" (1972).

Regina King

King estreia na direção de um longa após 35 anos de atividades como atriz. É dona de quatro prêmios Emmy (dois por “American Crime”, “Seven Seconds” e “Watchmen”). Com “Se a Rua Beale Falasse” (2018) ganhou um Globo de Ouro e o Oscar de “Melhor Atriz Coadjuvante”. 

Diretora Regina King orienta o ator Kingsley Ben-Adir
Legenda: Diretora Regina King orienta o ator Kingsley Ben-Adir

Antes, dirigiu episódios de séries para TV e o documentário “Story of a Village” (2014). Com “Uma Noite em Miami”, a realizadora estabelece um trabalho que reflete acerca dos dias atuais. 

Diante de cenas como as do assassinato de George Floyd (1973-2020), quanto daquele cenário segregador dos anos 1960 ainda persiste em 2021?  

 

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?