TV Unifor exibe sessão especial do filme "A Fera na Selva" e traz debate com diretor Paulo Betti

Projeto Cine Diálogos Virtuais do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza realiza encontros entre profissionais do cinema, estudantes, pesquisadores e fãs da sétima arte. Convidado divide toda a experiência por detrás das câmeras

Legenda: Eliane Giardini (Maria) e Paulo Betti (João): sensível história da comunhão entre palavra e som
Foto: Fernando Henrique

A criação cinematográfica resulta do envolvimento direto de inúmeros profissionais. Para quem estuda e pesquisa o audiovisual, a oportunidade de ouvir um trabalhador do cinema é um baita diferencial à formação. O projeto Cine Diálogos Virtuais do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza busca propiciar tal espaço. O encontro fértil entre público e realizadores.

Uma nova edição da iniciativa acontece hoje. A partir das 19h, a TV Unifor exibe "A Fera na Selva" (2019), de Paulo Betti, Eliane Giardini e Lauro Escorel. Após a sessão, às 20h30, acontece o aguardado debate virtual. Ator, autor e diretor, com 48 anos de labuta no mercado brasileiro, Paulo Betti divide um pouco da experiência produtiva do longa.

Trailer de "A Fera na Selva"

A dinâmica será mediada pelo professor Márcio Câmara, responsável pelo som do filme. A transmissão do bate-papo será aberta ao público pelos canais da Universidade no Facebook e no YouTube. Uma aula de cinema com quem conhece todo o retrospecto por detrás das câmeras de uma produção.

Formado pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (USP), Betti é dono de uma longa carreira como ator no teatro, televisão e cinema. Estrelou sucessos como "Lamarca" (1994), "Ed Mort" (1996), "Guerra de Canudos" (1997), "Mauá - O Imperador e o Rei" (1999) e "A Casa da Mãe Joana" (2008).

Além de "A Fera na Selva", dirigiu em parceria com Clóvis Bueno o longa-metragem "Cafundó" (2005). A premiére organizada pelo Cine Diálogos Virtuais apresenta ao público cearense um dos trabalhos mais íntimos deste artista. Uma obra marcada por diferentes reencontros.

A história já havia sido visitada por Betti e Eliane Giardini no teatro, há 30 anos. Assim, a versão cinematográfica parte da adaptação de Luís Artur Nunes, professor, diretor, escritor e autor de teatro.

Poesia

Outro sabor igualmente único foi a chance de filmar em Sorocaba, cidade interiorana da região sul paulista onde Betti e a ex-mulher, Eliane Giardini cresceram e se conheceram. Arte em família.

Ambos assinam o roteiro (juntos com Luís Artur Nunes e Rafael Romão) enquanto a filha dos dois, Juliana Betti, foi a encarregada da produção de elenco e ainda trabalhou com a atriz. Os irmãos de Paulo também aparecem no longa como figurantes. "É um projeto poético", defende o cineasta. Visitar as raízes foi uma etapa fundamental à construção de um jogo cênico produtivo.

Legenda: "A Fera na Selva" foi selecionado para o 45° Festival de Cinema de Gramado (RS) e 42ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (SP)
Foto: Fernando Henrique

"Temos um texto muito forte e procuramos servir esse texto com o máximo da emoção que poderíamos expor", argumenta. Outras etapas sensíveis que devem ser debatidas durante o Cine Diálogos Virtuais são o processo de adaptação literária, a sonoridade e atuação. Baseada na obra homônima do escritor norte-americano Henry James (1843-1916), "A Fera na Selva" apresenta o professor de português João (Paulo Betti), um sujeito obcecado pela ideia de que algo extraordinário deve acontecer algum dia em sua vida.

Por sua vez temos Maria, professora de literatura inglesa vivida por Eliane Giardini. A personagem se oferece para acompanhar este homem na longa vigília que o impede de viver o agora. Uma história de reflexão, um alerta em torno da necessidade de nos dedicarmos ao momento presente.

Bastidores

No encontro desta quinta-feira (30), do Cine Diálogos Virtuais, Betti falará mais sobre bastidores do filme, o caso da adaptação literária, a sonoridade e a atuação na obra. São preciosos detalhes que evidenciam a construção de um set de filmagens. "A Fera na Selva" notabiliza-se pela união de mentes criativas e comprometidas. Três pessoas assinarem a direção foi um caminho natural.

Legenda: Paulo Betti interpreta João, um professor ansioso pela ideia de que algo extraordinário está para acontecer

"A 'Fera na Selva' é um projeto da Eliane. Foi ela quem me mostrou o livro do Henry James, ela me incentivou a fazer a peça. Nada mais justo do que ela ser diretora do filme também. Na prática, foi isso que aconteceu. A Eliane ajuda muito a dirigir, não só esse filme, mas em tudo que ela trabalha" argumenta Betti.

Técnica

Betti evidencia o quanto a produção atingiu um caráter sonoro elogiável e pede que o público fique atento à sonoridade do filme. Se a palavra é um elemento essencial à trama, a construção de trilha e som conseguiriam ampliar a força da narrativa. Um feito, assevera o diretor, possível graças à participação de Felipe Lara (trilha musical), Márcio Câmara (som direto) e a dupla Alexandre Griva e Gabriel Pinheiro no desenho de som.

Formado em cinema pela San Francisco State University, na Califórnia, o cearense Márcio Câmara trabalha desde 1986 com som direto. "Milagre em Juazeiro" (1999), "Lavoura Arcaica" (2001), "Cinema, aspirinas e urubus" (2003) são alguns dos filmes que levam sua contribuição.

Realizou ainda documentários, ficções e comerciais de TV em diversos países como Cuba, Alemanha, México, Portugal e Canadá.

Foi indicado cinco vezes ao prêmio de melhor som direto pela Associação Brasileira de Cinematografia. Estreou na direção com o imperdível curta-metragem "Rua da Escadinha 162" (2003), que lhe rendeu mais de 30 prêmios nacionais e internacionais, entre eles, o de melhor documentário curta-metragem brasileiro pela Academia Brasileira de Cinema (2004).

Enquanto professor à frente do encontro de hoje, Câmara avalia que o evento é uma oportunidade rara de descobrir a potência da sétima arte nacional."Betti é um cara do cinema brasileiro, do teatro da televisão, é o tipo de conversa que vai para inúmeros lugares. Daqui a pouco, estes alunos vão estar na fila de trabalho, é bom para compreender o lugar deles no processo", descreve o docente.

"A Fera na Selva" envolveu mais de 600 trabalhadores entre equipe técnica, fornecedores e figurantes. Nessa exibição especial, som e palavra serão pontos de discussão extremamente relevantes. Afora os aspectos criativos e técnicos, é uma oportunidade de que profissionalismo também é sinônimo de amor ao que se faz.

Cine Diálogos Virtuais - Premiere do Filme “A Fera na Selva” e debate com Paulo Betti.
Exibição às 19h pela TV Unifor (Canal 14 da Multiplay Telecom e 181 da NET). Transmissão do debate aberto ao público no Facebook e YouTube da Universidade de Fortaleza.

Filmografia Paulo Betti

Ator 
A Fera na Selva (2017) 
Chatô (2015) 
Infância (2014) 
As doze estrelas (2010) 
A mulher invisível (2009) 
A casa da mãe Joana (2008) 
O signo da Cidade (2007) 
Irma Vap - O retorno (2006) 
Zuzu Angel (2006) 
A grande família - O filme (2006) 
Tapete vermelho(2005) 
Mauá - O imperador e o rei (1999) 
Guerra de Canudos (1997) 
Quem matou Pixote (1996) 
Ed Mort (1996) 
Lamarca (1994) 
Doida Demais (1988) 
Besame Mucho (1986) 
Dedé Mamata (1986) 
Fonte da saudade (1985)
Jogo Duro (1985) 

Diretor
Cafundó (2005)
A Fera na Selva (2017)

Filmografia Márcio Câmara
Técnico de Som Direto

Jogos da Paixão (2012)
Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios (2010)
Salve geral (2009)
Elvis e Madonna ( 2007)
Zuzu Angel (2006)
Mutum (2006)
Os desafinados (2005)
Peões (2004)
Cinema, aspirinas e urubus (2003)
O homem do ano (2003)
Deus é brasileiro (2003)
Lavoura arcaica (2001)
Amélia (2000)
Milagre em Juazeiro (1999)
A ostra e o vento (1996)

Diretor
Doido pelo Rio (2011)
Torpedo (2009)
Identidades em trânsito (2007)
Rua da Escadinha 162 (2003)