Tratamentos favorecem o crescimento e o fortalecimento dos cabelos

Estilo de vida desorganizado, como sono deficiente, consumo de álcool, cigarro e sedentarismo, além do uso excessivo de química e chapinhas, podem prejudicar a saúde dos cabelos

Escrito por Zilda Queiroz, zilda.queiroz@svm.com.br

Verso
Legenda: As terapias com laser, de baixa potência, são mais indicadas para retardar a progressão da queda e fortalecer o folículo peloso

Quem já passou pela experiência de finalizar a lavagem do couro cabeludo e ver o chão do banheiro cheio de cabelo sabe o quanto é desagradável conviver com a queda capilar. As situações de constrangimento por quem precisa ficar atento à retirada dos fios, que teimam em grudar na roupa, são diversas e angustiantes. Para se livrar do problema, o primeiro passo é buscar ajuda profissional a fim de investigar os motivos.

De acordo com a dermatologista e especialista em cabelo Marília Crisóstomo, as principais causas de queda são de ordem genética, hormonal e metabólico-nutricional, além de doenças sistêmicas do couro cabeludo, infecções, medicamentos, período pós-parto e estresse.

Outras questões que podem comprometer a saúde dos fios estão relacionadas ao estilo de vida desorganizado, a exemplo do sono deficiente, sedentarismo, consumo frequente de álcool e cigarro. Ou ainda, o uso excessivo de produtos químicos, bem como o calor proveniente do secador e da chapinha, os quais podem contribuir para a queda capilar.

Para ajudar a identificar as causas, a evolução e como solucionar o problema de cada um, a dermatologista exemplifica o que provoca o enfraquecimento e a queda.

Tratamento

O fator relacionado à conhecida alopecia androgenética - conhecida popularmente como calvície - acomete cerca de 75% dos homens ao longo da vida e mais de 50% das mulheres, principalmente após o período da menopausa.

Ela surge quando os cabelos vão afinando progressivamente devido à deficiência do hormônio testosterona, fazendo com que haja uma perda irreversível do volume capilar. A partir disso, é indicado o tratamento precoce.

Nos casos de genética, apesar de não haver cura, a especialista diz existir diversos tratamentos para amenizar o problema, entre eles estão a aplicação de loção tópica contendo minoxidil, e o uso de medicação oral, como antiandrogênica, finasterida e espironolactona.

Outras sugestões são o procedimento médico conhecido como mesoterapia (MMPR) ou microagulhamento, laser fracionado e terapias, a exemplo das realizadas com laser de baixa potência. "

O tratamento cirúrgico, referente ao transplante capilar, é indicado apenas nos casos mais avançados", destaca Marília.

As disfunções hormonais das glândulas endócrinas e da tireoide, como o hipo e o hipertireoidismo, comprometem diversas funções e estruturas do corpo. Uma das mais prejudicadas é o cabelo.

Legenda: O tratamento realizado com carboxiterapia promove, principalmente, o crescimento do cabelo

A queda dos fios pelo descontrole dos hormônios da tireoide pode ocorrer em homens e mulheres de qualquer idade. No entanto, o público feminino costuma ser o mais afetado.

No quesito metabólico-nutricional, a perda capilar é mais facilmente identificada quando ocorre perda de peso repentina ou esquemas de emagrecimento mais radical, em curto período de tempo, associado ao uso de medicamentos "milagrosos".

Conforme a dermatologista, qualquer tipo de dieta com restrição calórica inferior a 1.300 kg, por dia, gera a deficiência de vitaminas e minerais. Essa condição pode desencadear uma desorganização do ciclo do cabelo.

A anemia, causada pela deficiência de ferro é um quadro muito comum, principalmente entre as mulheres e os adeptos de dieta vegetariana ou vegana. A falta de ferro também compõe a lista das causas pela queda de cabelo.

Lembrete

Para a dermatologista Marília Crisóstomo, manter uma frequência de limpeza adequada do couro cabeludo, de acordo com o tipo de fio e grau de oleosidade, dieta balanceada, controle do estresse, sono reparador e a prática de atividade física regular são atitudes fundamentais para manter a saúde capilar. "

A queda de cabelo é apenas um sinal, e não uma doença em si. Por isso, o profissional recomendado para diagnosticar a causa e traçar o tratamento para cada caso é o dermatologista", aconselha a médica.

Assuntos Relacionados