Trajetória de Raimundo Fagner pode ser conferida em exposição permanente na capital cearense

Mostra guarda registros históricos da vida e da obra do cantor e compositor

Legenda: Entrada da exposição permanente "Raimundo Fagner - Vida e Obra", em Fortaleza
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

Raimundo Fagner tinha seis anos de idade quando participou, em 1955, do seu primeiro concurso musical. A canção "Minha Mãezinha Querida", com a qual estreou na Ceará Rádio Clube, está afixada numa das paredes da Fundação Raimundo Fagner, em Fortaleza, ao lado de uma foto 3x4 do cearense ainda criança, de um bilhete carinhoso dele para a mãe e do terninho bege com a boina preta usada na ocasião.

Legenda: Detalhe da roupa usada no primeiro concurso musical de Fagner junto ao acervo da mostra
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

A apresentação garantiu-lhe vitória na categoria de melhor intérprete mirim, além de uma caixa de Sabão Pavão e mil-réis para a matriarca, dona Chiquinha, como conta Regina Echeverria na biografia autorizada do aniversariante, lançada em abril de 2019. Essas e outras lembranças das sete décadas de vida de Fagner podem ser apreciadas em exposição permanente sobre sua trajetória, na sede da Fundação na Capital, localizada no bairro Parque Itamaraty.

Com curadoria, ambientação e montagem da irmã do músico, Marta Lopes, a mostra "Raimundo Fagner - Vida e Obra" reúne toda a discografia, os troféus, a coleção de camisas de time de futebol, os presentes de fãs, os ingressos de shows, além de mais de 7 mil imagens, entre fotos e vídeos, de diferentes momentos da história de Fagner.

Legenda: Comendas a exemplo do Troféu Sereia de Ouro, concedido a Raimundo Fagner pelo Sistema Verdes Mares, em 1988, podem ser vistas na mostra
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

"A Marta, ao longo da carreira dele, cuidou de toda essa parte de documentação. Ela, como bibliotecária, teve a oportunidade de catalogar todo esse acervo de períodos importantes da vida dele como artista, como pessoa ligada ao esporte, ao social", contextualiza a diretora da Fundação, Tereza Tavares.

Lembranças

Em meio às fotografias antigas de família, a prima de segundo grau de Fagner, Sandra Queiroz, que também é coordenadora da fundação, revisita a própria vida em contato com o acervo da mostra. "Tem toda uma cronologia, desde que ele começou, depois como artista, estudante, seus melhores amigos. E a história dele conta um pouco da nossa família, em Orós, dos nossos avós, tios, da nossa infância. Ele costumava passar todas as férias lá, tomando banho naquele açude. Quando a gente chega aqui, lembra logo", evidencia.

Legenda: Um dos hobbies de Fagner é pintar telas. Algumas podem ser conferidas na exposição permanente
Foto: FOTO: HELENE SANTOS

A exposição permanente também proporciona para as 200 crianças e jovens da fundação um contato mais íntimo com o músico, cuja agenda intensa de shows não permite visitas frequentes ao espaço. Além delas, fãs e demais interessados na trajetória do artista podem conhecer o espaço mediante agendamento prévio.

"Na verdade, esse acervo fica para a cidade, para a memória coletiva do Brasil não perder o trabalho desse grande cearense que, durante toda sua carreira, levou o Ceará para o País e para o mundo", conclui Tereza Tavares. 

Serviço

Exposição permanente "Raimundo Fagner - Vida e Obra". Visitação: De segunda a sexta-feira, das 8h às 11h e das 13h30 às 16h30, na sede da Fundação Raimundo Fagner, em Fortaleza (Rua Duarte Coelho, 1023, Parque Itamaraty). Contato para agendamento de visitas: (85) 3274-3726

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?

Assuntos Relacionados