Tem frescor no ar: São Paulo Fashion Week lança tendências para o Verão 2020

Entre as 36 marcas participantes, estilista Lino Villaventura foi o único representante do Ceará na 47ª edição do evento, encerrado na capital paulista no último sábado (27)

Escrito por Redação,

Verso
Legenda: No desfile-manifesto, o estilista mineiro Ronaldo Fraga faz referências ao assassinato da ex-vereadora do Rio Marielle Franco
Foto: Foto: Agência Fotosite

Com menos intervenções nos tecidos, que permanecem, contudo, bem estruturados por suas modelagens, a coleção do estilista Lino Villaventura, único representante do Ceará na 47ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW), surpreendeu outra vez. A proposta mais futurista revela certo frescor criativo para o Verão 2020, preservando as marcas registradas do criador: nervuras, plissados, patchworks, transparências e brilhos.

Legenda: Lino Villaventura evidencia seu trabalho autoral
Foto: Foto: Nelson Almeida/AFP

A marca de Villaventura foi uma das 36 participantes da semana de moda paulista, encerrada no último sábado. A temporada registrou forte presença de novos criadores e o brilho das veteranas, como Lenny Niemeyer. A grife carioca exibiu a elegância e sofisticação de sempre. Brincou com texturas e estampas que remetem a formações geológicas, misturando, ainda, tramas rústicas e organzas levíssimas.

Legenda: Na moda praia, o glamour da Lenny Niemeyer
Foto: Foto: Agência Fotosite

Legenda: Com ênfase na cultura inca, Triya mostra peças feitas em tear
Foto: Foto: Agência Fotosite

Com estilo mais ousado, Amir Slama, outro com talento já reconhecido, também lançou um desafio na questão da "representatividade". Além do casting tradicional de modelos, o criador levou à passarela um time de celebridades e influenciadores digitais que ilustraram a diversidade de corpos e identidades que formam a sociedade brasileira. Dentre elas, Jojo Todynho, Johnny Luxo, Carlinhos Maia e Samantha Schmutz.

O verão 2020 da Triya também promete! Inspirada na cultura Inca, a coleção levou para a passarela duas fortes tendências: o tie-dye e os símbolos místicos. Trabalhos manuais, a exemplo dos teares, predominaram nos looks. Seguindo a mesma pegada, a PatBo fez bonito com suas peças bordadas à mão. A Borana, pelo Projeto Top5, extrapolou no quesito artesanal a partir de peças tramadas com o macramê. Um luxo.

Legenda: Looks bordados à mão se destacam no desfile da PatBo
Foto: Foto: Agência Fotosite

Legenda: Criações de Amir Slama: diversidade de corpos e identidades
Foto: Foto: Agência Fotosite

Como já se tornou tradição, Ronaldo Fraga se destacou pelo desfile-manifesto. Com muita criatividade e beleza, levou à passarela tema inspirado nos painéis "Guerra" e "Paz", de Candido Portinari, expostos na sede da ONU, em Nova York.

Entre referências e metáforas, o assassinato da ativista dos direitos humanos e ex-vereadora do Rio Marielle Franco, bandeiras do Orgulho LGBT e capacetes militares verde-musgo. Fraga destilou sangue nos looks tingidos com os tons evidenciados nas obras de Portinari: azul, vermelho, laranja e amarelo. E, assim, revela o mundo da moda no mais relevante papel social.

Legenda: A capixaba Borana valoriza o trabalho artesanal
Foto: Foto: Agência Fotosite