Romance “Boca do inferno”, de Ana Miranda, completa 30 anos e ganha edição comemorativa

Lançamento acontece nesta segunda-feira (12) em frente à estátua de Iracema, na Beira-Mar, reservando ao público uma noite de leitura da obra

Legenda: Entre as narrativas escritas por Ana Miranda, "Boca do Inferno" desponta como uma das principais
Foto: Foto: Divulgação

Publicado em 1989, "Boca do Inferno" é o primeiro romance de Ana Miranda, uma das mais importantes escritoras cearenses, curadora da XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará. Ao completar 30 anos, a obra ganha lançamento nesta segunda-feira (12), em frente à estátua de Iracema, na Beira-mar, reservando ao público um íntimo contato com as linhas numa noite de leitura na praia de Mucuripe.

O momento acontece a partir das 19h com a presença da autora, que deve fomentar olhares sobre o título, publicado pela Companhia das Letras e traduzido em vários países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suécia e Holanda, entre outros. 

Dividido em 6 capítulos  A Cidade, O Crime, A Vingança, A Devassa, A Queda e O Destino "Boca do inferno" se passa em Salvador, no século XVII, durante o governo tirânico do militar Antônio de Souza de Menezes, apelidado de Braço de Prata por usar uma peça desse metal no lugar do braço. O membro foi perdido numa batalha naval contra os invasores holandeses.

Narrada em terceira pessoa, a história recria turbulenta época centrada na luta pelo poder entre Braço de Prata, e a facção liderada por Bernardo Vieira Ravasco, da qual faziam parte o padre Antônio Vieira e o poeta Gregório de Matos, conhecido como Boca do Inferno.

Para muitos críticos, a obra renovou o romance histórico brasileiro ao apresentar, numa engenhosa trama, as estratégias de ambição e poder manifestadas por homens e mulheres, engalfinhados entre o pecado e o prazer, o céu e o inferno. Tanta relevância rendeu a Ana o Prêmio Jabuti em 1990, na categoria Melhor Autora Revelação.

Serviço
Lançamento da edição comemorativa de "Boca do Inferno", de Ana Miranda
Nesta segunda-feira (12), a partir das 19h, em frente à estátua de Iracema (Avenida Beira-Mar, 4050, Meireles). Gratuito e aberto ao público