Psicanalista aponta relacionamento abusivo entre Anitta e Leo Dias e analisa o caso

Manuela Xavier ficou conhecida nas redes sociais após analisar os participantes do BBB20 e a família Pôncio

Legenda: Psicanalista analisa relação entre Anitta e Leo Dias
Foto: Reprodução

A psicanalista Mariana Xavier, que ficou conhecida por analisar os participantes do BBB20 em suas redes sociais, realizou uma análise da denúncia realizada por Anitta sobre as ameaças do jornalista Leo Dias, realizada no último domingo (24). 

Para analisar e ilustrar o caso, a psicóloga escolheu o conto do Barba Azul, de Charles Perrault. Na história, a esposa do Barba Azul tinha a permissão de circular por todo o castelo, com exceção de uma sala. Impulsionada pela curiosidade, a esposa entra no espaço e descobre ossos e sangue de outras mulheres. Barba Azul era um predador e mataria a esposa assim como as outras. Na paráfrase, Mariana compara Anitta a esposa e Leo Dias ao Barba Azul.

Segundo Xavier, Leo Dias mantinha um relacionamento abusivo com Anitta sob ameaças implícitas, do mesmo modo que o Barba Azul fazia com a esposa. A psicanalista aponta ingenuidade da parte da cantora por achar que estava protegida por alguém que a coagia. "Ela achou que para ter uma carreira perfeita e estar blindada daquele mesmo que a golpeia, ela teria que se render ao predador", diz.

Manuela afirma que ao romper com Leo Dias, Anitta "teve acesso a esse aposento secreto onde ficavam as ossadas". Ao tornar pública as ameaças que recebia, a cantora disse que preferia lidar com as consequências dos seus atos a ser refém de chantagem eternamente. "Anitta prefere voltar a plebe do que ficar refém encastelada", analisa a psicóloga. 

No conto, Barba Azul é assassinado pela esposa e suas irmãs mais velhas. A psicóloga compara o pronunciamento de Preta Gil sobre o caso à união da esposa e suas irmãs para derrotar o Barba Azul, neste caso, Leo Dias. "As irmãs começam a se manifestar. Preta Gil já lançou um vídeo. Em breve será Jojo", afirma. 

Ainda na história, uma mecha da barba do Barba Azul é guardada em um convento para que ninguém se esqueça. De acordo com Manuela, do mesmo modo que o conto indica que as pessoas não devem se esquecer das atitudes do personagem, o público não deve ignorar que a indústria da fofoca continua recaindo "de forma massacrante" sobre mulheres cujos corpos são "palco de discussões moralizadas". "Suas vidas são escancaradas e um tribunal da moral e do bem decide regular sobre a vida dessas mulheres", analisa Xavier.

A psicanalista diz ainda que não sabe qual o fim do caso entre Anitta e Leo Dias, mas afirma esperar que os "(d)efeitos" do predador não sejam de dissuadir a aliança entre as mulheres, mas sim convocar todas elas contra ele. "A gente precisa parar de fabricar celebridades e alimentar essa indústria da fofoca, da rivalidade feminina e do ego", aconselha.