Processo artístico de Candido Portinari é apresentado em exposição na galeria Multiarte

Levantamento raro realizado pela galeria pretende demonstrar os processos e técnicas do artista. Abertura contará com o filho de Portinari.

Legenda: Obra "Primeira missa no Brasil", de 1948, guache sobre papelão

Desvendar os processos criativos de Portinari. Esse é o foco principal da exposição Universo Gráfico de Candido Portinari (1903-1962), com visitação a partir da próxima sexta-feira (5), na galeria Multiarte.

Na noite anterior, uma abertura para convidados terá a presença de João Candido Portinari, filho do artista, que palestrará acerca dos trabalhos expostos. Na ocasião também será lançado um catálogo com 120 páginas, bilíngue, que incluirá todas as peças reproduzidas na mostra e textos sobre elas.

As obras do artista brasileiro voltam a estampar o espaço 22 anos após a última exposição dele na casa. Dessa vez, a proposta entrega ao público um levantamento raro que se debruçou nos diversos processos e técnicas. "Aí que tá o grande diferencial. Portinari foi um artista que experimentou tudo", acrescenta o curador e diretor da galeria, Max Perlingeiro, que empenhou um ano para contemplar pesquisas e produção, até a inauguração.

Legenda: "Rosto de Mulher", de 1960, nanquim bico de pena e lápis de cor

No total, 50 trabalhos entre pinturas, desenhos e monotipias revelam as variadas formas de fazer arte pelo qual Portinari caminhou durante a vida. Algumas delas são aquarela, têmpera, grafite e carvão. "Tem desde papéis de dois metros de altura até de dez centímetros. O grande ineditismo dessa exposição é essa diversidade, mostrar como Portinari tinha essa possibilidade, e ele dominava o seu ofício de pintor e de desenhista de uma forma bastante interessante", pontua Perlingeiro.

A mostra terá, inclusive, a presença de peças singulares, como um convite feito pelo artista para amigos do filho quando este tinha apenas três anos. "Diz o seguinte: 'João Cândido convida o amiguinho Roberto para tomar um lanche no dia 23 de março. Cosme Velho, 183'. Isso, o Roberto, que hoje tem 80 anos, me emprestou", relembra o curador.

O bilhete apesar de pequeno, contempla uma técnica pouco usual nos dias atuais, semelhante ao estêncil feito pelos grafiteiros. Além do esboço de um palestino e um judeu de braços dados, criado para a série Israel, pintado após viagem do artista paulista para a terra, definido como "Primoroso" por Perlingeiro, o trabalho é um marco simbólico para o filho de Portinari, João Candido. É nele que o artista mostra a tristeza com os conflitos no Oriente Médio.

Legenda: "Cabeça de Mulher", de 1944, monotipia

Temáticas da mostra

As peças estão dispostas pelo espaço seguindo uma narrativa e, para isso, divididas em nove núcleos temáticos. "Começa com os temas que lhe eram mais caros. Portinari era um humanista. Então, a temática dos retirantes, para ele, não era piegas. Ele sentia aquilo", detalha o curador.

Por isso, o primeiro dos temas é intitulado "Retirantes", no qual é retratada a dura vida dos migrantes nordestinos. Em seguida, "Crianças", tema benquisto por Portinari e que ganhou sua dedicação ao longo da carreira. O filho João e a neta Denise chegaram a servir de modelos para várias dessas obras. Destaque para a série Meninos de Brodowski.

Legenda: "Gaúcho", de 1954, em grafite

Na sequência, "Cenas de Trabalho" e "Cenas Religiosas". Apesar de ateu, o artista produziu o tema em larga escala, com variadas técnicas.

Os visitantes apreciam ainda "Estudos para Painéis", que expõe a grande inclinação muralista de Portinari. No qual tem no trabalho mais reconhecido o painel Guerra e Paz, exposto no prédio da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque. A mostra aborda ainda os núcleos "Ilustrações", "Figura Humana", "Série Israel" e "Guerra e Paz". "Quem viu a última exposição de Portinari, vai ver uma totalmente nova. Diria até um novo Portinari", garante Max.

Serviço
Exposição Universo Gráfico de Candido Portinari (1903-1962)
De 5 de julho a 27 de agosto de 2019, na Galeria Multiarte (Rua Barbosa de Freitas ,1727, Aldeota).
Visitação de segunda a sexta-feira das 10h às 18h. Gratuita.
Informações: (85) 3261-7724 / galeriamultiarte.com.br