Por que o Dia Mundial do Rock é celebrado em 13 de julho?

Data marca realização do evento Live Aid, em 1985

queen no live aid
Legenda: A banda Queen foi uma das que se apresentou no Live Aid

Muito antes da pandemia e das lives beneficentes, quando aglomerações eram comuns e até almejadas, um evento marcou a história da música pop - e do rock - para sempre. Em 1985, o Live Aid reuniu alguns dos maiores nomes da música mundial da época a fim de arrecadar fundos para auxiliar o combate à fome no continente africano. E é por causa dessa iniciativa que se comemora o Dia Mundial do Rock em 13 de julho.

O Live Aid foi organizado pelo cantor irlandês Bob Geldof e era uma empreitada ambiciosa: dois festivais em estádios lotados, um no John F. Kennedy Stadium, na Filadélfia, EUA, e o outro no lendário Wembley Stadium, em Londres, Inglaterra. Além dos cerca de 80 mil espectadores em cada, havia uma plateia estimada em 2 bilhões de pessoas pelo mundo inteiro assistindo aos concertos pela televisão.

Entre os artistas que participaram do Live Aid estavam o Queen, Paul McCartney, U2, The Who, Elvis Costello, Sting, Phil Collins Dire Straits, David Bowie, Elton John, B.B. King, Black Sabbath Judas Priest, The Beach Boys, Santana, Kool ? em 1979, Paul McCartney encabeçou o Concert for Kampuchea; em 1984, um ano antes do Live Aid, ocorreu o Band Aid, que reuniu estrelas da música para gravar Do They Know It’s Christmas?; pouco tempo depois, Michael Jackson, Stevie Wonder e Lionel Richie se inspiraram na ideia para We Are the World.

O sucesso do Live Aid foi tamanho que chega a ser difícil calcular quanto se arrecadou ao todo com os shows. As estimativas partem em 40 milhões de libras e chegam à casa das 150 milhões de libras. Pela iniciativa, Geldof chegou a ser indicado ao Prêmio Nobel da Paz. Além, é claro, de ter inspirado a criação do Dia Mundial do Rock na data em que ocorreu seu evento.