Performance de dança "10 anos sem Pina" será apresentada neste sábado (3) no Porto Iracema

O bailarino grego Daphnis Kokkinos e 22 artistas locais prepararam a performance desde o último dia 23 de julho, em homenagem à trajetória de Pina Bausch

Legenda: Daphnis e os bailarinos: ensaios para a performance começaram no mês passado
Foto: Foto: Té Pinheiro

O espectador pode não ser exatamente especialista em dança, mas o nome de Pina Bausch (1940-2009) soa familiar para quem possui maior intimidade com essa vertente do mundo das artes. Reconhecida por conta da criatividade - além da trajetória icônica na linguagem a qual se dedicou durante boa parte de seus quase 70 anos de vida - a alemã deixou forte legado, alimentado pelos discípulos que mantêm a paixão pela expressão viva dos corpos.

Hoje, às 20h, o grego Daphnis Kokkinos, um dos principais discípulos de Pina, apresenta uma performance ao público, envolvendo 22 bailarinos locais, no espaço Cena 15, da Escola Porto Iracema das Artes (Praia de Iracema). A apresentação é gratuita e funciona como prévia do espetáculo que será inserido na programação da XII Bienal Internacional de Dança do Ceará, em outubro.

Daphnis trabalhou desde o último dia 23 de julho ao lado dos bailarinos, ora no Theatro José de Alencar (Centro), ora no próprio Cena 15. "Fiquei muito entusiasmado com essa oportunidade. Aprendi com a Pina, sobre criar uma atmosfera de confiança que possa provocar os bailarinos ao ponto de eles trazerem suas contribuições", refletiu o grego, no início dos trabalhos.

O bailarino integra a companhia Tanztheater Wuppertal, dirigida por Pina Bausch de 1973 até 2009, desde 1993. Em 2002, passou a fazer assistência de direção para a artista, e a ligação dos dois só cresceu até a morte dela, em junho de 2009.

"Como bailarino, eu estava só no palco, mas como assistente tinha de estar ao lado dela, em momentos públicos e privados. A gente fazia uma produção por ano, e uma coprodução com outro País", recapitula Daphnis. Até integrar a Tanztheather Wuppertal, o grego passou por uma série de dificuldades até se firmar como dançarino.

No entanto, recorda que, ao adentrar a companhia, Pina Bausch lhe deu um abraço, e o gesto foi recebido como uma fortaleza para sua caminhada artística. "Só tive oportunidade de agradecê-la por isso 20 anos depois", lembra.

Legenda: Daphnis trabalhou como assistente de direção de Pina Bausch de 2002 até a morte da artista
Foto: Foto: Thiago Gadelha

A partir do encontro com Pina Bausch, ele enfatiza, "já tinha facilidade pra fazer certos movimentos. Mas quando comecei a trabalhar com ela, aprendi outras qualidades de movimento que não conhecia. Vivi um longo processo de trabalhos diários até que eu descobrisse dentro de mim o que me movia, e poder inserir isso na dança", observa o grego.

Serviço 
10 anos sem Pina 

Performance baseada na residência artística, com o bailarino Daphnis Kokkinos (Grécia) e 22 dançarinos locais. Neste sábado (3), às 20h, no Centro de Narrativas Audiovisuais do Porto Iracema das Artes -  CENA 15 (Rua José Avelino, 495, Praia de Iracema). Acesso gratuito. Contato: (85) 3219.5865 
 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?