Nany People se apresenta em Fortaleza com espetáculo de humor e reflexões sobre cotidiano

Diva sobe ao palco do Teatro RioMar Fortaleza nesta sexta-feira (22), abraçando a pluralidade do cotidiano

Legenda: Segundo Nany People, o público se sente conectado a ela porque o espetáculo aborda questões partilhadas entre todos
Foto: Divulgação

Nada escapa da lente de Nany People. Aos 56 anos, a diva segue feito maremoto, furacão descontrolado. Um verdadeiro TsuNany – mais novo solo estrelado por ela na capital cearense. A apresentação acontece nesta sexta-feira (22), às 21h, no Teatro RioMar Fortaleza.

Entre o riso e a lágrima, a loucura e o pensamento, o espetáculo promete divertidíssimas tiradas – não sem antes mergulhar o público em importantes reflexões sobre o hoje. Maus hábitos da modernidade, a vida da gente, diferenças dos universos masculino e feminino, questões envolvendo idade: a mistura é ampla e engenhosa.

“São temas que entram e saem por meio do formato de stand-up”, introduz a artista, em entrevista ao Verso. “Por ser algo muito aberto, posso divagar de um lado para outro com muito bom humor. O público se sente diretamente conectado porque o espetáculo fala de questões que todo mundo passa”.

Legenda: Nany utiliza o humor como válvula de relaxamento, mas também como dispositivo que ultrapassa o entreter
Foto: Marcos Guimarães

Além dos temas citados, há outros. People, ao encarnar personagem com o comportamento de uma relatora social, aborda os dilemas da própria geração – “que dormiu na ficha eletrônica, acordou na fibra óptica e tem que fingir costume” – exercícios físicos em excesso, o exagero das cirurgias plásticas e, claro, relacionamentos. “O espetáculo é sobre tudo aquilo que você vê, se identifica, se critica e não se crucifica. Se diverte”.

Humor inspirado

Enquanto gargalha, a plateia é lentamente abraçada por mensagens cada vez mais relevantes durante o show. Nany utiliza o humor como válvula de relaxamento, mas também como dispositivo que ultrapassa o entreter. Ela inclusive cita o alemão Bertolt Brecht (1898-1956), quando certa vez afirmou: “Qualquer discurso, para ser pertinente, tem que ser bem-humorado”.

“A gente só memoriza conteúdos de escola quando o professor é divertido. Então, no meu solo, as pessoas riem exacerbadamente, mas depois vem as mensagens, que se tornam cada vez mais precisas e importantes. Digo que estamos enlouquecendo calma e viciosamente sem saber. Tem, portanto, essa pegada motivacional – e proposital. As pessoas se identificam”.
Nany People
Humorista, atriz e apresentadora

Não à toa, o destaque também para os dilemas da vida e da morte; a importância das pessoas em nossa caminhada; e a necessidade de sermos a melhor companhia para nós mesmos. Um tsunami de lições por meio de uma hilária carpintaria – com direito à cobertura de pontos delicados, indo de relacionamentos abusivos a diferentes naturezas de transtorno.

“Faço uma análise muito divertida de tudo isso, e é transformadora, viu?”, garante a artista. Pudera: a interação com o público, além de genuína, é poderosa. Embora ainda com diversas limitações devido à pandemia de Covid-19, o espetáculo se reinventa de modo a fazer com que todos não apenas assistam ao show, mas participem dele – seja direta ou indiretamente.

Legenda: Apaixonada pela Capital, Nany guarda boas lembranças de Fortaleza e vibra pelo retorno à cidade
Foto: Marcos Guimarães

É quando “TsuNany” vai além das temáticas já apresentadas em anos anteriores. No novo número, elas emolduram o que a própria humorista vivenciou no momento de maior isolamento compulsório. O que aprendeu? Como lidou com os desafios desse período? 

“A vida é uma corrida muito rápida e inócua que a gente acha que tem o controle, mas não tem. Por isso, não dá pra deixar para amanhã o que pode fazer hoje. Essas são algumas pílulas que eu vou plantando ao longo da peça, com muito humor”.

Retorno a Fortaleza

Apaixonada pela Capital, Nany guarda boas lembranças de Fortaleza e vibra pelo retorno à cidade. Amiga de grandes nomes do humor cearense – a exemplo de Ciro Santos e Luís Antônio, intérprete da personagem Aurineide Camurupim – ela considera bastante peculiar nossa forma de fazer rir.

Também foi por aqui que a atriz esteve junto a outra diva, Rogéria (1943-2017), dividindo não apenas o palco, mas reforçando a amizade. O show foi concebido pelo já citado Ciro Santos, e foi um sucesso de público.

Agora, mediante a circulação pelo Brasil com o novo espetáculo, People é certeira: a apresentação serve para destilar leveza num panorama muitas vezes difícil e sombrio. “Todo mundo entra na viagem, na crítica, na análise, e ri junto. A gente ri da gente mesmo”.


Serviço
Espetáculo TsuNany - O Retorno, com Nany People
Nesta sexta-feira (22), às 21h, em apresentação única no Teatro RioMar Fortaleza (Rua Des. Lauro Nogueira, 1500 - 3001 - Papicu). Ingressos: entre R$32,50 e R$85, com vendas disponíveis neste link. Contato: (85) 3066-2000

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?