Minas Trend leva clima ensolarado a BH para falar de otimismo e propor moda mais democrática

Com o tema "Em dias de sol", o conceito alcançou as criações apresentadas nas passarelas do evento, antecipando as tendências para a primavera/verão 2020

Escrito por Rômulo Costa, romulocosta@verdesmares.com.br

Verso
Legenda: A cantora Zélia Duncan e o violonista Jaques Morelenbaum se apresentaram no desfile de abertura
Foto: FOTOS: DIVULGAÇÃO

Quando pensou na 24ª edição do Minas Trend, o estilista Ronaldo Fraga quis se afastar da apatia e do pessimismo que, segundo ele, atingiram os brasileiros e estão "se generalizando". No pensamento do diretor-criativo do evento, a semana de moda mineira poderia ser uma "fresta de luz" para superar os conflitos políticos e os desaventos que se acumulam nos últimos tempos no País. A moda é um caminho, ele acredita.

Daí, a praia vibrante e colorida que se construiu em Belo Horizonte na semana passada, entre 9 e 12 de abril. Com o tema "Em dias de sol", o conceito alcançou as criações apresentadas nas passarelas do evento, antecipando as tendências para a primavera/verão 2020.

Fraga entende que esse é um tempo de reinvenção social, e a moda deve se integrar nessa nova fase. O estilista provoca reflexão sobre o próprio fazer, que não deve ser apenas a construção de peças de vestuário.

"Roupas, os chineses estão fazendo muito bem, por isso nós temos que fazer outras coisas"
.

Essa transformação, pela ótica de Ronaldo Fraga, deve passar por uma revisão que atravessa as formas de comercialização e criação. "Apesar de tudo isso que vivemos no Brasil, a ordem é democratizar. Então, para sobreviver, a moda vai ter que abrir as portas, estabelecer diálogo com as frentes que sempre negou, com consumidores que nunca enxergou", atiça.

Nordeste

Esse novo paradigma já é exercitado por algumas das marcas que desfilaram no Minas Trend, mas talvez esteja ainda mais evidente na construção apresentada pelo Coletivo Alagoas. Pela segunda vez na line up principal da semana de moda mineira, o grupo que reúne dez marcas alagoanas trouxe para o evento um desfile inspirado no livro "Vidas Secas", do escritor Graciliano Ramos, também natural de Alagoas.

A obra influenciou a construção das peças - boa parte feita à mão - que ganharam destaque ao apostar em bordados, patchwork, tramas, nervuras e jacquards. As marcas valorizaram ainda cortes mais democráticos, levando para a passarela modelos plus size.

Para Kelly Acioli, da Aquas Beachwear, que integra o coletivo, a proposta é traduzir a identidade nordestina sem incorrer em uma caricatura da região. Por essa razão, o desafio foi ainda maior, na avaliação dela, por trazer como tema um livro que retrata a seca. "Nós trouxemos isso de maneira bem diferente. Trazendo essa questão da seca e também do luxo que é o Nordeste, através do bordado, do brilho, da riqueza e, ao mesmo tempo, da singeleza que é do povo", afirma.

A vibração dos dias de sol alcançou, com elegância, as criações de Fátima Scofield. A marca explorou a brasilidade e a riqueza das florestas amazônicas com modelagens inspiradas nos anos 1950. Lilás, pink cherry, vermelho camélia, amarelo canário, azul hortênsia, opala, verde jade e lima foram os tons que a estilista decidiu trabalhar para a próxima estação. As cores surgem em saias amplas e comprimento midi e uma linha de alfaiataria formada por calças, blazers e trenchcoats.

Urbano

De maneira mais evidente, a Skazi apresenta o verão em peças inspiradas na história do surf e de Isabel Lethan - a primeira surfista do sexo feminino a se aventurar por ondas grandes. Depois de uma temporada fora do Minas Trend, a marca volta trazendo a praia para looks urbanos com peças amplas e apostando no conforto e em tons neutros como o off White.

Já a estilista Patrícia Mota levou uma coleção inspirada nos quatro elementos da natureza. A água, por exemplo, esteve representada nas peças pela leveza do rechilieu, e o ar no respiro entre montagens de crochê unindo recortes de couro em patchwork. Florais e os tons de coral e vermelho completam o conceito ao remeter à terra e ao fogo, respectivamente.

Denise Valadares, em parceria com Alberth Franconaid, aposta nos volumes para a próxima estação com uma coleção que traz mangas bufantes e babados em peças bordadas à mão. O traço geométrico marca o trabalho que foi batizado como Cristals.

Os bordados também chegam com força nas criações de Raquel de Queiroz, que apresentou o desfile "Poesia". Nas peças de moda festa, os elementos lúdicos aparecem em vestidos longos e curtos com paetês, canutilhos e bordados em efeito 3D, quase sempre em cores primárias mesclando menta, coral e cassis.

*O jornalista viajou a convite do Minas Trend