Método Montessori é tema de bate-papo no Espaço Verso na Casa Cor Ceará 2019 

O método Montessoriano na construção de espaços infantis foi o tema desta noite no Espaço Verso na Casa Cor Ceará 2019. No sábado (12), quatro arquitetas expuseram as especificidades do método no palco montado na mostra de ambientes. 

Legenda: Público acompanhou e participou do debate no Espaço Verso na Casa Cor Ceará 2019
Foto: Foto: Camila Lima

Fundada pela Italiana Maria Montessori (1870-1952), a teoria acredita que individualidade, atividade e liberdade da criança são princípios básicos da educação. E isso passa pelo ambiente no qual ela está, inclusive em casa. Ticiana Sanford, Juliana Hissa e Zaíra Mendes estiveram no Espaço Verso na Casa Cor Ceará 2019 e debateram sobre as ideias Montessori, as formas de aplicação e esclareceram dúvidas da plateia que esteve atenta ao bate-papo na noite de sábado (12), de 19h às 20h.

Foi explicando alguns princípios desse método que a psicóloga Livia Votta, mediadora da conversa, abriu o bate-papo. "Para o método é fundamental confiar na criança, no que ela pode fazer e que um ambiente preparado permite que a criança explore e aprenda sozinha. A gente nem se dá conta, mas as crianças aprendem a andar, a sorrir, a reconhecer feições e expressões sozinhas", exemplificou. 

Reforçando que o ambiente preparado é um dos aspectos Montessori, a arquiteta Zaíra Mendes comentou que a aplicação deve ir para além do quarto. "É muito comum a gente receber clientes, mulheres grávidas, interessadas no quarto de bebê com o método. O que a gente tenta fazer é muito mais do que a cama no chão", disse. 

Juliana Hissa complementou que todo os ambientes pelos quais a criança circula devem estar adaptados a ela, de forma a estimular a autonomia. "O quarto não é projetado para os pais, é para a criança. Ela tem que ter autonomia para pegar o brinquedo, escolher a roupa, ir dormir na hora que quiser. Para dar autoconfiança a ela", indicou.

A ideia de que o quarto não deve ser pensado nos pais, mas sim na criança, foi o ponto reforçado por Ticiana Sanford durante o bate-papo. "Um quarto muito rococó corresponde apenas a uma expectativa do adulto. É a visita ou a criança que vai estar lá dentro?

É um quarto que em dois anos não será funcional. Isso também repercute numa questão sustentável, financeiramente falando", ponderou. 

A sustentabilidade, inclusive, é o tema da Casa Cor Ceará 2019 e foi explorada pelas debatedoras como um assunto que vai além do ecologicamente correto, mas também deve ser financeiramente viável. Juliana sugeriu a criação de um painel sensorial, que faz parte do método Montessori, com elementos reaproveitados. "Ele é montado com elementos de cada casa, como panela, bolinha, telefone, espaço pra riscar entre outras ideias". 

Ticiana reforçou a proposta: "Um projeto bem feito pode durar da infância até a adolescência mudando poucos elementos. O papel do arquiteto é que a gente tem a capacidade de economizar o dinheiro do cliente, já que sendo bem projetado durará muito mais", indica.  

Brincadeiras com personagens

Após o debate, o espaço Verso Casa Cor Ceará foi ocupado pela turminha Diário, que apresentou um show especial para o Dia das Crianças. Mazinho, Zé e Bodim reuniram as crianças e promoveram uma grande brincadeira. 

Na semana que vem, o Espaço Verso abordará a Arquitetura e Sustentabilidade. 

 


Assuntos Relacionados