John Legend fala de amor, política e manifestações racistas no Conversa com Bial

Cantor se inspirou na pandemia para criar seu novo álbum "Bigger Love"

Esta é uma imagem de John Legend
Legenda: John Legend foi o convidado do Conversa com Bial da última quinta-feira (9)
Foto: Reprodução/Instagram

O cantor John Legend, 41, foi o convidado de Pedro Bial no Conversa com Bial (Globo) desta quinta-feira (9). No bate-papo, o artista, que já ganhou Emmy, Grammy, Oscar e Tony, falará sobre racismo, protestos nos Estados Unidos, amor e, claro, música.

O artista tem acompanhado de perto os movimentos contra as mortes de pessoas negras nos Estados Unidos e a pandemia do novo coronavírus. Envolvido em causas, ele levanta o debate sobre o tema.

O artista usou a pandemia para criar "Bigger Love", seu novo álbum, que passa mensagens interessantes para o momento em que vivemos. "Nós pensamos no que está acontecendo no mundo e nos Estados Unidos. As pessoas estão protestando nas ruas, e temos visto muitas imagens de luto. Então eu realmente pensei se era o caso de lançar esse tipo de música. Mas eu também pensei que, neste momento, as pessoas precisam de um pouco de alegria, amor e conexão humana. E eu acho que a música pode ajudar em certos aspectos", diz.

O artista disse gostar de ficar em casa com a esposa, a modelo Chrissy Teigen, e os filhos. Ele afirmou que aproveita esse tempo para ficar ao lado de seus entes queridos: "Eu me sinto mais próximo da minha família, esse é o lado positivo. Mas é claro que estamos preocupados com o que está acontecendo no mundo."

O papo também dá lugar ao romance. Com Chrissy, com quem é casado desde 2013, diz sentir que está com a pessoa certa. "Ela é muito engraçada, me faz rir o tempo inteiro. É muito criativa e é ótima com os nossos filhos, criando várias coisas divertidas para eles fazerem. Ela traz tanta luz para a nossa casa. Eu não imagino estar na quarentena com outra pessoa, ela é perfeita para isso."


Assuntos Relacionados