Guitarrista cearense Artur Menezes lança seu quinto disco

Fiel ao gênero que estimulou sua trajetória artística, o blueseiro lança "Fading Away". O álbum está disponível nas plataformas digitais a partir desta sexta (30)

Legenda: Artur finalizou as gravações do novo disco após o início da pandemia do coronavírus
Foto: Allison Morgan

Após o início da pandemia do coronavírus, a oferta de estímulos que a sociedade tem à disposição, seja na arte ou em qualquer outro segmento, ficou ainda mais evidente. Pela programação de transmissões online, os artistas correram atrás de criar uma nova relação com o público. Fiel ao blues, o guitarrista cearense Artur Menezes (35) precisou se reinventar nesse cenário, a exemplo de vários de seus pares, mas chega ao quinto álbum de carreira com dedicação ao gênero musical pelo qual escolheu ser artista.

"Fading Away" (selo Vizztone) chega às plataformas digitais nesta sexta (30). O álbum reúne 10 faixas produzidas por Josh Smith e ainda traz a participação especial do blueseiro norte-americano Joe Bonamassa. Joe participa da faixa "Come On", composição que foi lançada junto com um videoclipe no início deste mês. No próximo dia 8 de novembro, ele fará uma live de lançamento do trabalho. As 10 composições do disco são criações novas e refletem o período que Artur têm morado na Califórnia (EUA), onde participa do cenário de blues norte-americano e leciona guitarra para alunos interessados no gênero.

O guitarrista já está radicado no exterior há 4 anos. "Meu processo de composição é um pouco estranho. Quando vejo que é época de lançar um disco novo (de dois em dois anos), simplesmente sento e faço as músicas. (Antes disso) sempre que alguma ideia aparece, eu pego o iPhone e gravo. Já as letras vêm de experiências pessoais, ou que aconteceram com pessoas próximas. 'Come On' é sobre os protestos que estavam rolando nos Estados Unidos", situa Artur.  

Para o guitarrista, o processo de finalização do álbum foi complicado. Isolado nos Estados Unidos desde março passado, e longe da família no Brasil, Artur precisou se deslocar em função das últimas etapas de gravação do disco, e conta como ficou tenso em relação a esse movimento. Toda a parte instrumental das músicas já estava finalizada antes da pandemia, mas as vozes do registro, não.

"O período mexeu muito com o meu emocional. Cantar é algo mais pessoal. Tocando guitarra, você expressa seus sentimentos através de um instrumento. Mas cantar não tem isso, sai de dentro de você. Foi difícil, mas tinha aquela coisa: precisava lançar o disco, estava ficando tarde. Foi tenso pegar Uber para o estúdio, ficava com medo. O Josh ajudou, porque ele e a família estavam se cuidando, daí fiquei mais tranquilo", conta Artur.

Formação

De formação autodidata, Artur Menezes passou a lecionar guitarra blues nos Estados Unidos, mas admite que nunca foi um grande estudioso, seja em relação ao instrumento, seja desde os tempos de colégio em Fortaleza. Ele conta que, quando era mais jovem, sempre tratou, primeiro, de cumprir as obrigações, para depois ter tempo de brincar com a guitarra. Artur observa que, dessa forma, desenvolveu um olhar mais artístico do que de um músico profissional, que serve a todos os gêneros da linguagem.

"Lidando com a carreira, eu preciso cuidar das redes sociais, marcar shows, é trabalho 24h. Mas eu não estudo, procuro encontrar tempo pra tocar guitarra (livremente). Já tive um período de estudar para saber o que eu estava fazendo, sem ser por instinto. E também porque pensava na possibilidade de ensinar. Acho importante passar o conhecimento", reflete o guitarrista.

Artur lembra que chegou a comprar um bandolim e enveredar pelo aprendizado do choro. Mas viu que o domínio do novo instrumento demandava tempo e ele se perdia da sua prioridade. "Sempre gostei da onda de ser específico, acho melhor ser 'muito bom' em uma coisa, do que ser razoável em várias coisas. O artista gosta de focar", sugere.

Planos

Com a pandemia, Artur situa que teve de adiar os planos de fazer uma turnê na Europa. As datas foram remanejadas para meados de 2021 e ele deve excursionar, até então, pela Inglaterra, Rússia, Estônia, Bélgica e Romênia. Ainda em 2020, ele sairá da Califórnia para se apresentar no estado de Maryland (EUA) e no México. Mas ainda não tem planos de tocar no Brasil.

"Assim que essa loucura acabar, pretendo fazer uma turnê legal no Brasil. Mas por enquanto só vou em Dezembro, pra ficar um pouco com minha família", prevê. 

(Disco)

Fading Away
Artur Menezes

Vizztone
2020, 10 faixas
Disponível nas plataformas digitais

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?