Filme 'Soldados da Borracha', do cearense Wolney Oliveira, é premiado na Mostra Ecofalante de Cinema

Documentário foi o vencedor do Prêmio do Público na categoria longa-metragem. Realizado virtualmente, evento audiovisual é um dos mais importantes na América do Sul e defende a temática socioambiental

Legenda: "Soldados da Borracha": Promessas de melhores dias levaram cerca de 60 mil nordestinos para a região amazônica. Metade morreu antes de voltar para casa
Foto: Divulgação

O cinema cearense é reconhecido internacionalmente mais uma vez. Documentário "Soldados da Borracha", realizado pelo cineasta Wolney Oliveira, foi agraciado pela Mostra Ecofalante de Cinema. Por conta da pandemia da covid-19, a nona edição do evento foi realizada virtualmente. A obra que resgata um dos capítulos mais dramáticos na história do País venceu o "Prêmio do Público".

O festival é um dos mais importantes na América do Sul e dedica-se à temática socioambiental. Em 2020, a Mostra Ecofalante de Cinema apresentou 98 filmes, oriundos de 24 países. Outra produção local que também integrou a competição de longa-metragem foi “A Jangada de Welles”, de Petrus Cariry e Firmino Holanda

“Soldados da Borracha" registra a saga de cerca de 60 mil brasileiros enviados para a região amazônica pelos governos do Brasil e dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) em um mirabolante plano para extrair látex, material estratégico imprescindível à vitória dos Aliados. 

Diversidade

Além da obra de Wolney Oliveira, a Mostra Ecofalante de Cinema premiou o doc brasileiro "Indianara", de Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa. O longa "Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar", de Marcelo Gomes, recebeu menção especial do júri “por fazer uma crítica sagaz e criativa dos efeitos do empreendedorismo em uma população rural do Pernambuco", apontam os organizadores.

A honraria de "Melhor Curta" foi para "Mamapara", coprodução Peru/Argentina/Bolívia de Alberto Flores Vilca. O "Prêmio do Público", na categoria curta-metragem, foi para "Resplendor", de Claudia Nunes e Erico Rassi. A produção aborda a existência de um centro de detenção indígena em Minas Gerais chamado "Reformatório Krenak" durante a Ditadura Militar. 

O júri foi composto por Beth Formaggini (cineasta), Caru Alves (diretora, produtora e roteirista) e Kiko Goifman (antropólogo e diretor).

Lista completa dos premiados na 9ª Mostra Ecofalante

Melhor longa-metragem pelo público

Soldados da Borracha – Wolney Oliveira (Brasil, 2019, 82′)

Panorama Internacional Contemporâneo

Melhor filme pelo público

Tiste Oceano – Karina Holden (Austrália, 2017, 76′)

Competição Latino-Americana

Melhor longa pelo júri

Indianara – Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa (Brasil, 2019, 92′)

Menção especial longa

Estou Me Guardando para Quando o Carnaval Chegar – Marcelo Gomes (Brasil, 2019, 85′)

Suspensão – Simón Uribe (Colômbia, 2019, 73′)

Melhor longa pelo público

Soldados da Borracha – Wolney Oliveira (Brasil, 2019, 82′)

2º lugar da escolha do público (longas)

Amazônia Sociedade Anônima – Estêvão Ciavatta (Brasil, 2019, 72′)

3º lugar da escolha do público (longas)

Indianara – Aude Chevalier-Beaumel e Marcelo Barbosa (Brasil, 2019, 92′)

Melhor curta pelo júri

Mamapara – Alberto Flores Vilca (Peru/Argentina/Bolívia, 2020, 17′)

Menção especial curta

O Delegado – Samuel Moreno Alvarez (Colômbia, 2019, 26′)

Guaxuma – Nara Normande (Brasil, 2018, 14′)

Melhor curta pelo público

Resplendor – Claudia Nunes e Erico Rassi (Brasil, 2019, 52′)

2º lugar da escolha do público (curtas)

Por Trás da Cortina Verde – Caio Silva Ferraz e Paulo Plá (Brasil, 2019, 29′)

3º lugar da escolha do público (curtas)

Mitos Indígenas em Travessia – Julia Vellutini e Wesley Rodrigues (Brasil, 2019, 22′)

Concurso Curta Ecofalante

Melhor Curta Ecofalante pelo júri

O Verbo Se Fez Carne – Ziel Karapotó – Universidade Federal de Pernambuco (Brasil, 2019, 6′)

Menção especial

Território: Nosso Corpo, Nosso Espírito – Clea Torres e João Paulo Fernandes, Universidade Federal de Mato Grosso (Brasil, 2019, 27′)

Estado de Neblina – Bruno Ramos, Centro Universitário Senac (Brasil, 2019, 19′)

Prêmio do público

Hoje Sou Felicidade – João Luís e Tiago Aguiar, Universidade Federal de Pernambuco (Brasil, 2019, 20′)

2º lugar da escolha do público

Ângelo – Mariana Machado, Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil, 2020, 28′)

3º lugar da escolha do público

Cidade de Quem Corre – Fernando Martins, curso É Nóis Na Fita (Brasil, 2019, 11’)

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?