Festival Verbo Ver de Fotografia traz programação formativa até domingo (18)

Após a realização de workshops no Porto Iracema e Cuca Jangurussu nesta quarta (14), o evento terá sua abertura oficial na quinta (15), na Imagem Brasil Galeria

Escrito por Felipe Gurgel, felipe.gurgel@diariodonordeste.com.br

Verso
Legenda: Foto de Celso Oliveira, homenageado pelo festival, feita em Juazeiro do Norte (CE)

Embora o uso da fotografia seja tão corriqueiro, nesta era digital, a compreensão das dinâmicas da linguagem é uma reflexão comum ao universo de fotógrafos novos e veteranos. A partir desse olhar, acontece a primeira edição do Festival Verbo Ver de Fotografia, de 14 a 18 de novembro, em Fortaleza.

Nesta quarta (14), o evento traz workshops com acesso gratuito, na Escola Porto Iracema das Artes (Praia de Iracema) e no Cuca Jangurussu. E a abertura oficial ocorre quinta (15), às 19h30, com uma exposição em homenagem ao fotógrafo Celso Oliveira (RJ), na Imagem Brasil Galeria (Aldeota). A programação se estende ainda para o Museu da Fotografia (Varjota), Praça dos Leões (Centro) e Hotel Sonata (Praia de Iracema).

Com ênfase na formação de fotógrafos e dos demais apreciadores da imagem, o festival dá continuidade ao projeto "Encontros de Agosto", realizado desde o ano de 2011. A programação reúne exposições, leitura de portfólio, workshops, palestras, rodas de conversa, dentre outras atividades, sob a temática "Por que fotografar?".

Foto: Celso Oliveira

A partir dessa provocação, a organização abriu uma convocatória, finalizada no último dia 10, para selecionar 25 trabalhos fotográficos que serão exibidos na Mostra Cearense, durante a programação do festival. A fotógrafa Patrícia Veloso, produtora do evento, comenta o processo seletivo. A curadoria reuniu os fotógrafos João Kulcsar (SP), Márcia Melo (RJ), Isabel Gouveia (BA), Silas de Paula (CE) e Carlos Carvalho (RS). A mostra é realizada desde a primeira edição do Encontros de Agosto.

"Cada curador vê os ensaios e atribui notas de 1 a 10, valorizando aspectos conceituais, a relação com a temática. Os fotógrafos apresentam a defesa do trabalho e nós liberamos (o conteúdo) para a comissão", sintetiza Patrícia.

Avaliar os candidatos a partir da sintonia com a temática do festival faz parte, segundo a produtora, do caráter formativo e didático do evento. "Nós fazemos algumas provocações para que eles possam apresentar melhor seus trabalhos. É como se eles tivessem se preparando para inserir esses ensaios em outros festivais. É bem mais do que participar de um concurso", vislumbra ela.

Princípio

O "Encontros de Agosto" foi criado para celebrar o mês do Dia Mundial da Fotografia (19 de agosto) em Fortaleza. No entanto, a agenda de parceiros e apoiadores da iniciativa dificultava a fixação de realização na data. A produtora recorda a convivência com o fotógrafo cearense Chico Albuquerque (1917-2000) como uma das inspirações para tocar a ideia adiante. Chico foi um dos pioneiros da fotopublicidade, além de ter ganho destaque no mercado do eixo Rio-SP.

"Comemoramos vários 19 de agosto com ele. É uma data simbólica para a fotografia do Ceará. Daí encontramos uma agenda mais flexível para o segundo semestre", situa a produtora.

Carioca, radicado no Ceará, Celso Oliveira (61) tem sua trajetória celebrada pelo Festival Verbo Ver. A organização disponibilizou 50 fotos de várias séries da obra do homenageado. Segundo Patrícia Veloso, o recorte traz "diálogos de períodos, momentos, emoções. É uma exposição muito sensorial".

Para homenagear Celso e seus 43 anos de carreira, o festival procurou valorizar o cenário local, considerando a estrada do fotógrafo pelo Ceará, como fotojornalista, produtor da editora Tempo D'Imagem, dentre outros projetos.

Foto: Celso Oliveira

Segundo ele, receber a homenagem envolve um misto de felicidade e preocupação. "É a segunda que eu recebo, então quando chega nesse estágio a gente fica pensando se não está na hora de parar. Mas estou sempre recomeçando, o mercado mudou muito pra fotografia e é preciso se adaptar", destaca Celso.

O fotógrafo observa como a evolução de sua carreira acompanhou mudanças paradigmáticas para a fotografia. A fotografia de arte ganhou outro status (em relação às décadas de 1970, 80), ao se tornar objeto de exposições, por exemplo.

Sobre a seleção de 50 obras de sua autoria, para a exposição do festival, ele valoriza a pluralidade das imagens, produzidas em períodos distintos. "Acaba sendo uma surpresa, até para não ficar cansativo para o público. Quando você expõe um tema único, fica uma leitura só", diz.

Educação

Questionado a respeito de suas inquietações na produção imagética, Celso Oliveira se coloca em sintonia com a própria experiência. Hoje, ele se dedica mais aos projetos educativos com a fotografia.

"Estou voltado pra passar a bola, levar o conhecimento para as pessoas. E eu tanto faço isso para as classes elitizadas, como para os mais pobres. Meus projetos seguem nas duas vertentes", resume o fotógrafo. Ele costuma misturar alunos sem experiência e os mais iniciados. E opina sobre os rumos da linguagem. "Hoje todo mundo é fotógrafo. A fotografia 'que interessa' ficou mais especializada", complementa.

Serviço 
Festival Verbo Ver de Fotografia 

De 14 a 18 de novembro. Abertura oficial nesta quinta (15), às 19h30, com a exposição de Celso Oliveira, na Imagem Brasil Galeria (Rua Rocha Lima, 1707, Aldeota). Programação completa: verboverfestival.com.br. Contato: (85) 3261.0525.