Espetáculo infantil apresenta conto nordestino resgatado pelo pesquisador Luís Câmara Cascudo

“A Princesa de Bambuluá” traz a história de uma princesa encantada que assombra viajantes que se aproximam da gruta onde ela vive

Esta é uma imagem do espetáculo
Legenda: Conto "Princesa de Bambuluá" ganha versão em teatro de sombras em espetáculo infantil com apresentação virtual e gratuita
Foto: Reprodução

O conto popular nordestino “A Princesa de Bambuluá” ganha uma versão em formato de teatro de sombras com um espetáculo infantil da companhia Quase Cinema, que estreia neste sábado (27), com apresentações virtuais e gratuitas. Resgatada pelo pesquisador potiguar Luís Câmara Cascudo, a narrativa traz a história de João, um jovem que enfrenta inúmeros desafios com persistência e coragem para desencantar a princesa de Bambuluá.

Com seis apresentações digitais, a nova temporada do espetáculo será disponibilizada no canal do YouTube do grupo teatral. Para dar vida a narrativa, a peça reúne um reino encantado, fantasias e personagens místicos em uma só história por meio de uma produção com desenhos baseados na técnica da xilogravura, considerada um dos símbolos da cultura nordestina. Além das animações, “A Princesa de Bambuluá” apresenta também uma trilha sonora inspirada nos sons característicos da região. 

“O teatro de sombras apareceu como uma possibilidade de falar e de se comunicar através das sombras. É muito onírico, que leva ao inconsciente. A gente imaginou que precisava ser algo muito potente. Daí, resolvemos pesquisar histórias brasileiras e o Luís Câmara Cascudo surgiu como uma possibilidade de ir ao encontro dessas histórias”, conta Ronaldo Robles, diretor do espetáculo.

O conto  “A Princesa de Bambuluá” traz a história de uma princesa encantada que habitava uma gruta, responsável por assombrar todos os viajantes que se aproximassem do local. Mas o menino João que caminhava sem rumo pelo sertão nordestino teve coragem de enfrentá-la. O garoto então aceita casar com a princesa, mas para isso ele precisa enfrentar inúmeros desafios para desencantá-la. 

Quando o espetáculo foi montado, há 16 anos, ele foi pensando no intuito de desmistificar estereótipos da cultura nordestina e mostrar a força e a coragem desse povo, conta Ronaldo Robles. A produção teatral se realiza a partir do prêmio Proac Lei Aldir Blanc. “Quando pensamos na história que a gente gostaria de contar, logo entendemos que teria que ser uma que viesse do Nordeste, porque (a região) fala muito do Brasil, fala do povo que sofre, que vem da terra mesmo e que batalha”, diz. 

Novo formato

 “A Princesa de Bambuluá” foi o primeiro espetáculo produzido pelo grupo “Quase Cinema". Com a pandemia, a peça ganhou um novo formato e o teatro de sombras entrou na casa do público. Apesar da perda da troca interativa entre o público e o elenco, característica das apresentações presenciais, o diretor acredita que a modalidade remota é a melhor maneira de manter as pessoas conectadas com a arte.

“Tem esse lugar que nos afastamos do encontro presencial, achamos que é uma perda muito grande, mas, por outro lado, temos um ganho de também poder chegar no aconchego da casa, de possibilitar que a pessoa tenha contato com a arte sem correr o risco de se contaminar pelo vírus. É outra forma de levar o teatro, de chegar nas pessoas com essa obra de arte”, completa. 

Serviço

“A Princesa de Bambuluá”

Estreia no sábado (27), às 16h, no YouTube na Companhia Quase Cinema. Gratuito. O espetáculo também estará disponível nos dias 28/02, 06/03 e 07/03.

 

Você tem interesse em receber mais conteúdo de entretenimento?